Bruno Henrique/Banda B
No Paraná, cerca de 90% dos professores estão participando da paralisação, disse a APP- Sindicato

Mil professores e servidores estaduais se reuniram em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, em Curitiba, na manhã desta quarta-feira (24) para promover um dia de paralisação. A mobilização aconteceu em todo o país. No Paraná, cerca de 90% dos professores estão participando da paralisação, de acordo com a Associação dos Professores do Paraná (APP-Sindicato). Mesmo assim, algumas escolas da rede de ensino público do estado estão com as atividades e aulas normais porque a paralisação foi descartada. Não há um número efetivo de quantas escolas decidiram por fechar as portas neste dia.

A presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, disse, em entrevista à Banda B que o objetivo é a classe estar unida em busca de um objetivo. “Temos que alertar as autoridades que alguns serviços não funcionam como deveriam, chegamos em um ponto que não dá mais para levar. As pessoas estão aderindo a paralisação e isso mostra que a insatisfação é geral”, aponta.

Durante a manifestação, os professores fizeram o enterro simbólico do Sistema de Atendimento à Saúde (SAS), em protesto contra a falência do modelo de atendimento que hoje é ofertado ao funcionalismo público do estado. Eles pedem um novo modelo de atendimento à saúde dos servidores por causa da falta de médicos, hospitais e demora nos atendimentos. Ainda, querem a aplicação de um reajuste de 33% na hora-atividade para as atividades desenvolvidas pelos docentes fora do horário de aula, como a correção de provas.

Por volta das 11 horas, diretores da APP-Sindicato se reúnem com os secretários de Educação, Flávio Arns, e de Administração e Previdência, Dinorah Nogara. No encontro serão discutidos também a data-base e o reajuste diferenciado para os funcionários, uma nova oferta da dobra de padrão, o debate da matriz curricular e novos concursos públicos para funcionários de escolas.

A região está com o trânsito bem complicado por causa das manifestações. Policias do Batalhão de Polícia de Trânsito (Bptran) estão orientando motoristas no local, mas pedem que o local seja evitado.