Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

“Dom” é a palavra que define o trabalho da curitibana Maria de Fátima Barga Verlinque, de 51 anos. Há 20, ela é costureira e tem até uma empresa na área, localizada no bairro Cristo Rei. “Quem não tem dom, não vai longe, disso eu tenho certeza”, logo disse à reportagem. Ela é o destaque do programa Bom Dia Trabalhador da Rádio Banda B que vai ao ar neste domingo (4), a partir das 6h.

costureira-300414-bandab

A costureira tem uma empresa do ramo no bairro Cristo Rei. (Foto: Arquivo pessoal)

O interesse pela profissão começou ainda quando ela era pequena. “Eu fazia roupinha para as bonecas, mexia na máquina de costura da minha mãe, quebrava agulha. E lá vinha ela brigar comigo”, relembrou à Banda B. Desde o primeiro contato com esse “novo mundo”, Maria de Fátima não hesita em dizer que adora o que faz. “É muito gostoso. Mas é difícil, porque tem que fazer com carinho, ter vontade de pegar a máquina e fazer tudo certinho”.

Segundo a costureira, a maior dificuldade do ramo é encontrar pessoas que queiram realizar esse tipo de trabalho. “Infelizmente, hoje as meninas não querem mais fazer essas coisas. Eu já anunciei em vários lugares mas é difícil encontrar quem tem o dom. E não adianta, se você não tem vontade, não vai saber por onde começar, não vai saber pegar na agulha ou até mesmo pregar um botão”, afirmou.

Apesar do interesse na costura ter diminuído nas últimas décadas, Maria de Fátima admite que não se imagina em nenhum outro tipo de profissão. “Eu amo o que faço e confesso que não sei fazer outra coisa além disso. Para mim, é o trabalho certo”, concluiu.

Bom Dia Trabalhador

A costureira é o destaque do quadro Gente Que Trabalha do programa Bom Dia Trabalhador deste domingo. Para mais informações, é só sintonizar na Rádio Banda B às 6h da manhã. Com uma hora de duração, o programa sempre traz curiosidades e tira todas as dúvidas sobre as questões relacionadas ao âmbito profissional