Da SMCS

As três estações-tubo destruídas por vândalos durante uma manifestação em junho, no Centro Cívico, deverão estar totalmente prontas dentro de 15 dias. Os vidros, se o tempo colaborar, devem estar colocados até o meio da próxima semana. O conserto vai exigir a troca de 120 vidros e 51 guarnições de borracha, além do outros cinco conjuntos de borracha de encaixe que foram recuperados.

O conserto só começou na noite desta quinta-feira (4) porque o trabalho não pode ser feito com chuva ou excesso de umidade, o que pode comprometer o resultado. Além disso, a destruição exigiu a produção de vidros e guarnições de borracha que são feitos exclusivamente para as estações-tubo, não existindo similares no mercado.

A colocação de vidros, borrachas e outros acessórios só pode ser feita depois do encerramento da operação dos ônibus, entre 1h e 5 horas da madrugada, em função principalmente, da segurança de usuários e cobradores e dos próprios funcionários que trabalham nos reparos. Os equipamentos necessários para o conserto ocupam espaço na pista, o que, além de impedir a parada dos ônibus significaria criar congestionamentos no trânsito.

Foram depredadas na manifestação as estações Prefeitura, Comendador Fontana e Palácio Iguaçu. O nível de depredação obrigou a desativação das três estações com desvio dos ônibus para paradas distantes, como nas estações Teffé e Círculo Militar.

Para minimizar o desconforto que só teriam opções de embarque e desembarque em pontos bem mais distantes, a Urbs providenciou o conserto da parte elétrica, conectividade e validadores, o que permitiu que em menos de três dias as três estações pudessem entrar em operação, mesmo em caráter precário.