O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Rodoviária Federal farão, após o Carnaval, uma megaoperação nas estradas do País para fiscalizar o cumprimento da lei sobre os novos limites de jornada de trabalho dos caminhoneiros. Serão 9,5 mil agentes de prontidão.

O tempo máximo ao volante é de dez horas diárias para contratados fixos e 12 horas para autônomos, sendo que, a cada quatro horas dirigidas, será obrigatória uma parada de 30 minutos.

Os motoristas profissionais devem ainda fazer o controle de jornada. Segundo levantamento do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), a legislação vai elevar o custo do transporte, na média, em 14%, ou R$ 28 bilhões este ano.