Divulgação
Dra. Maria Leticia Fagundes

Na semana em que se comemora o dia da mulher, a médica ginecologista Maria Leticia Fagundes faz um alerta: o HPV esta matando muitas mulheres. O papilomavírus humano é um vírus que afeta homens e mulheres e é considerado a principal doença sexualmente transmissível. Existem mais de 100 tipos diferentes de HPV, mas cerca de 15 estão relacionados ao desenvolvimento de câncer genital – colo de útero, vagina, vulva e pênis. E as estatísticas são bem preocupantes. Oito em cada 10 mulheres e homens já pegaram ou pegarão algum tipo de HPV. E no mundo inteiro, a cada dois minutos, uma mulher perde a luta contra o câncer de colo do útero, a consequência mais grave do HPV.

Mas os números poderiam ser bem diferentes. Existem vacinas que protegem contra alguns tipos de HPV que causam o câncer de colo de útero. Porém são necessárias três doses da vacina e ela custa em torno de R$ 400 a dose. “É inadmissível mulheres morrerem por uma doença que pode ser evitada através de uma vacina“, afirma Maria Leticia.

Há duas vacinas comercializadas no Brasil, uma delas é quadrivalente, ou seja, previne contra os tipos 16 e 18 – presentes em 70% dos casos de câncer de colo de útero – e contra os tipos 6 e 11 – presentes em 90% dos casos de verrugas genitais.

De acordo com a médica, existem alguns projetos tramitando no Senado e na Câmara Federal, sobre o assunto, mas eles ainda sequer chegaram à votação em plenário. “Este é um assunto de saúde publica urgente. Mulheres jovens estão morrendo pela falta de vacina e muitas mães sequer sabem que é necessário vacinar suas filhas. Há uma falta de informação geral sobre o assunto”, afirma a médica, que convive com o assunto diariamente em seu consultório.

O HPV – A transmissão do vírus acontece principalmente na relação sexual. A maioria dos casos de infecção do HPV não causa nenhum tipo de sintoma e desaparece sem tratamento. Porém, em algumas pessoas ele pode se manifestar como verrugas genitais ou lesões, que se não forem tratadas podem progredir para câncer de colo de útero, vagina e vulva.

Quando o HPV não apresenta sinais ou sintomas, é possível saber que está infectado realizando exames de rotina, como o Papanicolau.

A vacina contra o HPV deve ser tomada ainda na adolescência. Isso porque a maioria das pessoas adquire o vírus nos primeiros dois a três anos da vida sexual ativa.

Os números da HPV:

– Oito em cada 10 mulheres e homens já pegaram ou pegarão algum tipo de HPV

– 20% dos que contraem o vírus apresentam sinal de infecção

– 11% das que têm sinais de infecção evoluem para câncer

– Os tipos 16 e 18 são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero

– Os tipos 6 e 11 são responsáveis por 90% dos casos de verrugas genitais em homens e mulheres

– No mundo a cada 2 minutos uma mulher perde a luta contra o câncer de colo do útero