Da BBC Brasil

A ex-senadora Marina Silva (PSB) aceitou se candidatar à Presidência no lugar de Eduardo Campos, morto em um acidente de avião na quarta-feira (13).

O coordenador da Rede Sustentabilidade, Bazileu Margarido, disse à BBC Brasil que Marina autorizou o PSB a fazer consultas com a sigla e os outros partidos da coligação para definir a candidatura.

marina-silva

(Foto: AFP)

Marina era vice na chapa de Campos e sofria resistência de parte da cúpula do PSB, que preferia um nome mais ligado à base do partido. A ex-senadora ingressou na legenda no ano passado, após fracassar sua tentativa de criar a Rede.

A candidatura de Marina não deve ser anunciada oficialmente antes do enterro de Campos, que ainda não tem data marcada.

O ex-governador de Pernambuco e outras seis pessoas morreram em um acidente aéreo em Santos, no litoral de São Paulo, na manhã de quarta-feira. As causas do acidente ainda não são conhecidas.

Ao aceitar a candidatura, Marina indica que concordou com as exigências do PSB de respeitar os acordos regionais firmados pela sigla e manter o programa de governo já acordado.

Durante a semana, a família de Eduardo Campos já havia manifestado a vontade de que a vice concorresse em seu lugar.