Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

copa-mundo-dentro

Encontro reuniu cerca de 50 pessoas. Foto: DB/Banda B

O Dia Internacional de Lutas contra a Copa reuniu cerca de 50 pessoas na Boca Maldita, no centro de Curitiba, no início da noite desta quinta-feira (15). Convocados pelo Grupo 15M, os manifestantes protestaram contra as injustiças da Copa do Mundo, especialmente em Curitiba. O protesto aconteceu em praticamente todas as cidades-sede do Brasil e em outros países, simultaneamente.

copa-mundo

Boneco e cartazes levados pelo grupo. Foto: DB/Banda B

A concentração aconteceu a partir das 18 horas e o grupo ficou reunido até próximo das 20h30. Com cartazes e cantorias, representantes do grupo indagavam sobre várias questões envolvendo a Copa. Com o slogan #copapraquem, os manifestantes ainda participaram de um encontro sobre educação.

A representante do Comitê Popular da Copa em Curitiba, Izabela Cunha, disse à Banda B que o objetivo é que os organizadores afirmem o real significado da Copa do Mundo. “Estamos aqui para questionar a FIFA sobre como que essa copa está sendo feita e o que realmente querem com ela. Queremos saber quem está sendo beneficiado com tudo isso, porque o povo não é. Nove trabalhadores morreram nas construções das Arenas, vendedores ambulantes não podem atuar durante a Copa. Então, para quem é tudo isso?”, questionou.

Ainda, segundo ela, gastos públicos estão sendo feitos de maneira desordenada e citou exemplos da capital. “A revitalização da Vila das Torres foi planejada, anunciada e é umas das principais entradas para a cidade. Foram pintadas várias casas das vilas ao redor de verde e amarelo. Especificamente aquelas que ficaram às margens da rua e o resto? O resto ficou ao léu”, finalizou.

Diferente do que em outras cidades-sede, em Curitiba não teve registro de qualquer tumulto ou violência.