Por Elizangela Jubanski

sindimoc

Trabalhadores reunidos em frente à empresa. Foto: Sindimoc

As linhas de ônibus de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, demoraram duas horas para saírem da garagem na manhã desta segunda-feira (25). Motoristas e cobradores fizeram uma manifestação contra as demissões em massa e também pelo fim do assédio moral.

O protesto aconteceu das 4 às 6 horas na empresa Auto Viação São José e mobilizou praticamente toda categoria. De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Dino César, os trabalhadores voltaram a trabalhar, mas continuam mobilizados.

“Vários pais de família estão ficando desempregados por causa da ganância dos empresários. Não podemos deixar que isso aconteça de forma velada. Estamos aqui para combater o assédio moral”, disse Dino César, ao vivo, em entrevista ao apresentador Adilson Arantes durante o Jornal da Banda B 1ª Edição.

Usuários do transporte público entraram em contato com Rádio Banda B para relatar a demora dos ônibus na cidade de São José. “Está tendo greve?”, indagava a população. Filas nos pontos de ônibus formam registrados no início da manhã por toda a cidade. Os ônibus voltaram ao normal pouco depois das 6 horas. O fluxo de ônibus nas ruas normaliza aos poucos.

Resposta

A Banda B entrou em contato com a empresa Auto Viação São José e o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) preferiu se manifestar por meio de nota enviada à redação. De acordo com eles, representantes do Sindimoc impediram a saída dos veículos das garagens. ” Mais uma vez, a maneira arbitrária de agir do Sindimoc, sem aviso prévio e impedindo a saída dos veículos, prejudicou a população que dependia dos ônibus para iniciar seu dia. A Auto Viação São José nega a alegação do Sindimoc de assédio moral e demissão em massa na empresa”, finaliza a nota.