Da AEN

A Secretaria da Família e Desenvolvimento Social informa que as famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família que estão há mais de dois anos sem atualizar informações devem realizar a revisão cadastral até dezembro. No Paraná são mais de 46 mil famílias que correm o risco de ter o benefício bloqueado, caso não confirmem os dados.

bolsa família

Foto: EBC

O Programa Bolsa Família, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), transfere renda com base nos dados do Cadastro Único de Programas Social (CadÚnico). Por isso, os beneficiários têm até 13 de dezembro para apresentar aos gestores municipais do programa os documentos de identificação pessoal do Responsável Familiar e dos demais integrantes da família. Também devem ser entregues outros documentos que ajudem na qualificação de informações, como o comprovante de residência e a conta de energia elétrica.

Segundo o coordenador de Renda de Cidadania da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, Nircélio Zabot, a necessidade de recadastramento está sendo informada por meio de correspondência. “O alerta já vem sendo realizado desde julho, mas caso o beneficiário do Bolsa Família não estiver recebendo o extrato mensalmente, deve procurar o órgão local responsável pelo programa para confirmar as informações”, explica Zabot.

A mudança de endereço ou de renda, a localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência e a composição familiar são informações fundamentais para a boa gestão do programa. A partir deste ano, os gestores municipais também irão registrar, caso o responsável familiar possua, o número do telefone celular. Essa informação pode ser importante em caso de necessidade de contato direto e rápido com as famílias.

O processo de revisão cadastral ocorre anualmente desde 2009. É realizado pelos municípios e o Distrito Federal com todas as famílias que completam dois anos sem atualização ou confirmação em seus cadastros, conforme prevê o Decreto nº 6.135 de 2007.