Do Catve.com

A primeira semana do mês de abril marca também o início da quarta-semana em que Maria Luísa Moia Kamei permanece internada no Hospital Evangélico de Curitiba. Na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da unidade, ela permanece respirando com a ajuda de aparelhos.

(Foto: Facebook)

Conforme a mãe da jovem, Marcia Kamei, a equipe médica começou a reduzir os sedativos e, na última semana, a jovem conseguiu abrir os olhos e acenar com a cabeça. Ainda conforme Marcia, as queimaduras continuam estabilizadas, no entanto, ainda soltam bastante liquido o que causou a instabilidade na pressão da jovem.

Maria Luísa ainda corre risco de morte e, desde que foi internada em Curitiba no dia 13 de março, os pais permanecem na capital e não voltaram mais para Maringá, cidade onde vivem. Devido ao grave quadro de saúde da filha, os pais estão sem condições psicológicas de trabalhar, conforme relatou Marcia.

Por solidariedade da empresa na qual trabalha, Marcia está afastada do trabalho, assim como o pai da jovem. Nilton Cesar Kamei tem um consultório em Maringá, que está fechado desde o ocorrido.

Para mais informações sobre a Região Oeste do Paraná acesse o Catve.com clicando aqui.