A diarista Ieda Maria Belotto dos Santos, mãe de dois filhos portadores de necessidades especiais, entrou em contato com a reportagem da Banda B no começo da tarde para pedir ajuda após ter o Sistema Integrado de Transporte para o Ensino Especial (Sites), que atende essas crianças e as leva para as escolas, cortado pela Prefeitura de Curitiba. Segundo, ela necessita muito do serviço para poder trabalhar.

“Eu tive o serviço até algum tempo atrás, mas não sei o motivo, a prefeitura cortou. Liguei no 156, insisti, mas me alegaram corte de gastos”, disse.

Segundo ela, os dois filhos possuem vaga garantida no Centro Municipal de Educação Infantil Guilherme Canto Darin, mas sem o serviço do ônibus, os dois acabam ficando em casa. “Eu fico sem receber pelo meu serviço, é um apelo que eu faço que esse ônibus volte a nos atender”, pediu.

Resposta

Em nota, a Prefeitura de Curitiba garantiu que não há cortes na Secretaria de Educação com relação ao Sites. O cadastro para os alunos que usam o sistema de transporte começou a ser feito no dia 15 de fevereiro. A linha usada pelos filhos da ouvinte está lotada e, nesse caso, há duas possibilidades: ou ela pode tentar aguardar por um possível remanejamento nas linhas ou pode tentar vaga em duas outras escolas que também atendem crianças especiais, que tiveram os telefones fornecidos à reportagem da Banda B.