Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique

carrodentro

Mulher promete ficar acampada em frente ao TJ-PR (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Uma mãe promete acampar em frente ao Tribunal de Justiça do Paraná, (TJ-PR), no bairro Centro Cívico, em Curitiba, e só sair quando os três filhos voltarem para casa. Segundo Maria Jandira Schoel, de 30 anos, moradora no bairro Pilarzinho, os garotos Jorge Matheus, de quatro anos, Gabriel, de três anos, e Felipe, de cinco meses, foram encaminhados a abrigos por um oficial de justiça. A alegação judicial é que Jandira sofre de Síndrome de Münchausen, que a leva a criar doenças nos filhos, aplicando remédios sem prescrição. Jandira nega ser portadora da síndrome.

carrodentro2

Jandira diz que é vítima de um diagnóstico errado (Foto: BH – Banda B)

De acordo com a medicina, a síndrome de Münchausen é diferente de Hipocondria, porque no segundo a pessoa acha mesmo que está doente, enquanto no primeiro ela sabe que está exagerando e faz de maneira consciente. Jandira foi diagnostica em 2010 por uma médica do Hospital de Clínicas (HC), e teve Jorge Matheus retirado naquele mesmo ano, com cinco meses. Já Gabriel e Felipe foram tirados de casa em junho deste ano, o que causou ainda mais revolta na mãe. O que chama a atenção no caso é que, antes dos meninos, Jandira teve duas filhas que morreram, uma com dois anos e outra com quatro meses, por doença de Crohn, que é uma inflamação grave no intestino.

“Tenho como provar que a morte delas não aconteceu por minha culpa, porque elas sempre foram bem tratadas. Os oficiais de justiça me tiraram os meninos por um diagnóstico de uma médica do HC que me atendeu em um dia e já decidiu o que eu tinha. Isso está errado e eu vou ficar aqui até que os meus filhos voltem para casa. Minha advogada está pedindo que um desembargador do TJ-PR interfira por mim, porque outros juízes já me negaram a ação”, afirmou Jandira à Banda B.

Segundo a mãe, os meninos estão hoje em um abrigo e sentem sua falta. “Eu os vejo todo fim de semana. O Gabriel estava comigo desde os três anos e nunca teve nada, o que mostra como eu cuido bem deles. A situação começou porque o Felipe em 2010 teve uma convulsão logo após nascer e ficou hospitalizado, daí tiraram estas conclusões. Estou com uma advogada e vou até o fim para ter os meus meninos de volta”, concluiu.

A assessoria do Hospital de Clínicas, hospital responsável pelo diagnóstico da doença, informou que  o HC não irá se manifestar sobre o assunto porque o caso corre em segredo de Justiça.