Antonio Nascimento/Banda B
Bandeira foi colocada na torre de 75 metros

Não se fala em outra coisa na Barreirinha, em Curitiba, desde a missa das 10 horas de domingo (30). Quem é o homem (ou o doido) que escalou a torre da igreja do bairro e arriscou a própria vida para pendurar no cume uma bandeira do Brasil? E ainda: por que ele teria feito isso? Seria uma promessa, um ato de loucura, ou as duas coisas juntas?

A reportagem da Banda B foi até a região nesta quarta-feira (2) e conversou com os moradores. Todos contaram que a igreja estava lotada de fiéis na missa das 10 horas quando, de repente, diáconos viram um homem chegando no topo da torre a cerca de 75 metros de altura. O aventureiro (ou pagador de promessa) foi rápido. Colocou a bandeira do Brasil no ponto mais alto da Igreja da Barreirinha e, de rapel, atingiu o chão. Assim que chegou lá embaixo, fugiu sem dar nenhuma explicação.

Alguns moradores chegaram a chamar os bombeiros, mas não houve tempo de apanhar o escalador.

“Ninguém sabe por que esse homem fez essa loucura. Não sei se era promessa ou outra coisa. Mas a gente sempre vê ele aqui pelo bairro, mas ninguém sabe o nome. Agora, que é estranho essa coisa de arriscar a vida para colocar uma bandeira tão alto, isso é”, falou um dos moradores, que se identificou apenas como Celso.

Aroldo Daros,que é outro morador freqüentador da igreja, lembra que essa não é a primeira vez que alguém tenta subir na torre. “Há uns quatro anos outro homem tentou subir lá no alto, mas caiu e se machucou muito. Dessa vez, não aconteceu uma tragédia, mas é muito estranho esse homem arriscar a vida para colocar essa bandeira”, afirmou o morador acrescentando que ele jamais conseguiria tal façanha.

Subida

Ao que parece, o homem subiu até o telhado por uma escada comum e, de lá em diante, usou uns degraus bem estreitos (da largura de um pé) para alcançar o cume. A descia foi ainda mais rápida, de rapel, o que o fez atingir o solo em segundos.

O fato é que, três dias depois, a bandeira do Brasil permanece lá no alto. Até agora, ninguém se candidatou para ir até lá em cima para retirá-la.