Por Denise Mello

Silvonei José em entrevista ao radialista Luiz Carlos Martins (Foto: Banda B)

Um homem simples, sorridente e que nunca impõe nada. Quando quer algo, vai lá e faz e conquista pelo exemplo. Assim é o Papa Francisco, segundo palavras do jornalista Silvonei José, que trabalha como tradutor e locutor das mensagens do Santo Padre na Rádio Vaticano. Com uma voz grave e marcante, Silvonei, que é de Guarapuava, está passando uns dias no Brasil e foi até a Rádio Banda B nesta segunda-feira (20), conversar ao vivo com Luiz Carlos Martins. Contou em detalhes o dia a dia do Papa Francisco, já que tem o privilégio de conviver com o Pontífice por ser o locutor da “Voz do Papa” no Brasil.

Papa Francisco já até dirigiu na contramão no Vaticano (Foto: Agência Brasil)

Uma das inúmeras histórias relatadas por Silvonei foi sobre o dia em que o Papa ganhou um carro e foi passear no vaticano. “Quando o Papa Francisco era arcebispo em Buenos Aires, ganhou um Renault velhinho que usava para rodar por lá. Depois de uns quatro meses em Roma, um pároco do norte da Itália lhe trouxe um Renault também usado para lhe dar de presente. O Papa perguntou se o carro andava. O padre disse que sim e Francisco pegou um pároco e foi dar uma volta. O pároco, de motorista, entrou na contramão, com o Papa no banco do passageiro. O guarda do Vaticano apitou e mandou parar. Levou um susto quando viu que era a Santidade. Explicou que os dois estavam na contramão e o Papa argumentou dizendo que estava tudo fechado, que não tinha ninguém, mas acatou. Daí o guarda disse que ele estava sem cinto de segurança. Imediatamente Francisco concordou e disse que isso era bom porque ele não sabia se o motorista dirigia bem”, contou.

Silvonei contou ainda que o Papa costuma caminhar da Casa Santa marta, onde mora, até o Palácio Apostólico. “Já no início quis morar na Casa Santa Marta. No primeiro dia, pegou sua malinha e foi caminhando até o Palácio. Os guardas falaram que ele poderia ir de carro. O Papa disse que não, se quisessem, eles que fossem de carro porque ele iria a pé. E assim tem sido todos os dias, com exceção apenas em dias de muito frio ou chuva”.

O Papa não costuma dar ordens e nem impor nada. Usa uma cruz no peito feita de ferro, da época da ordenação episcopal. Com seu gesto, ninguém mais usa cruz peitoral de ouro no peito, relata o jornalista. “Ele conquista pelo exemplo, não pela imposição”.

Outra peculariedade do Papa Francisco é que ele mesmo faz sua agenda do período do tarde. “Ele anota e define tudo no período da tarde. Às vezes, só ele sabe o que vai acontecer porque está tudo em sua agenda preta”.

Silvonei também fala do hábito de sair e comprar seus sapatos e óculos, além do carinho e preocupação que tem com os moradores de rua.

Acompanhe a entrevista do locutor da “Voz do Papa”, no Brasil, Silvonei José, ao radialista Luiz Carlos Martins: