Rivais políticos, o governador Beto Richa (PSDB) e o prefeito Gustavo Fruet (PDT) anunciaram, neste sábado (11/05), a manutenção do subsídio ao transporte de Curitiba e Região Metropolitana.

AEN
Fruet e Richa tiraram até fotos juntos durante o anúncio

A maior parte do subsídio, R$ 53,3 milhões, virá por meio de repasse do Governo do Estado para a Prefeitura de Curitiba. Outra outra parte, de R$ 23 milhões, vem da isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel, conforme lei assinada por Richa na última segunda-feira. Por sua vez, a Prefeitura de Curitiba vai subsidiar em R$ 22,7 milhões, nos próximos 10 meses, a Rede Integrada de Transporte (RIT).

“Nosso compromisso é com as pessoas, e estes valores que estamos liberando demonstram o respeito da nossa equipe de governo com os usuários do transporte coletivo na Região Metropolitana de Curitiba, que passam a ser beneficiados com duas ações do Estado”, afirmou Richa.

“Estamos fazendo um grande esforço para evitar o reajuste da tarifa metropolitana. Pessoas que moram nos municípios vizinhos e trabalham na capital têm o direito de pagar o mesmo valor que os usuários de Curitiba. A responsabilidade pelo gerenciamento da RIT é do governo do Estado, mas estamos assumindo um terço do subsídio”, afirmou o prefeito Gustavo Fruet.

Já o prefeito de Pinhais, Luiz Goulart, presidente da Associação de Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (ASSOMEC), disse que prevaleceu o bom senso. “O bom diálogo entre os prefeitos e o governador Beto Richa garantiu o valor da tarifa acessível para a população”.