Redação

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) determinou que pelo menos 50% dos 916 trabalhadores da Fundação da Universidade Federal do Paraná (FUNPAR) voltem ao trabalho no Hospital de Clínicas a partir da zero hora desta terça-feira (20). Caso a decisão não seja cumprida, há previsão de multa diária de R$ 30 mil a partir das 7 horas. A multa recairá sobre o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral do Estado do Paraná (SINDITEST-PR).

A decisão foi tomada pela desembargadora Ana Carolina Zaina na noite desta segunda-feira após audiência de conciliação envolvendo representantes da FUNPAR, Ministério Público do Trabalho e do Sindistest. A desembargadora fez algumas propostas à categoria, entre elas está um reajuste salarial de 7,64% para trabalhadores com um salário de até R$ 2.400, 6,3% para aqueles que ganham até R$ 3.400 e 5,82% para funcionários que recebam mais de R$ 3.500 por mês. Além disso, a suspensão da execução das demissões que haviam sido decretadas pela Justiça.

Os funcionários do Hospital de Clínicas, contratados pela Funpar, entraram em greve na manhã desta segunda-feira (19). A principal reivindicação da categoria é a garantia da cláusula de estabilidade no Acordo Coletivo de Trabalho 2014/2015 até que ocorra aposentadoria, que para eles deve ocorrer no máximo em dez anos.

De acordo com o Sinditest, os trabalhadores também pedem reajuste salarial de 18,9% e aumento do vale-alimentação de 11,91%. Eles também pedem a extinção da ação judicial que determina demissão de todos os servidores contratados pela fundação até junho.

Segundo um levantamento parcial do HC, foram prejudicados os setores de coleta, agendamento de consultas e alguns ambulatórios. No entanto, nenhum destes locais parou totalmente de funcionar.

Segundo o sindicato, os trabalhadores convivem com a ameaça constante de demissão e por isso não conseguem avançar nas negociações de plano de carreira, de transposições e de outros benefícios a que têm direito.