A Junta Comercial do Paraná (Jucepar) realizou nesta quinta-feira (21) o III Encontro Anual de Operadores, que reuniu cerca de 130 relatores de 58 escritórios regionais do órgão no Estado. São funcionários das prefeituras e associações comerciais, que atuam em parceria com a Jucepar para atender o empreendedor na criação da sua empresa.

No encontro foi apresentado aos participantes um novo sistema que permite a reserva do nome empresarial por até 30 dias. O serviço faz parte do programa Empresa Fácil, lançado na atual gestão pela Jucepar-PR e inspirado em programa de Minas Gerais e referência para o país.

“O programa Empresa Fácil cumpre a meta de governo de facilitar o empreendedorismo, estimular o crescimento da economia e a geração de emprego”, afirma o presidente da Jucepar do Paraná, Ardisson Naim Akel. O primeiro produto desenvolvido no Empresa Fácil, lançado nesta quinta-feira, é a reserva de nome.

O novo empreendedor pode consultar na internet, através do site www.jucepar.pr.gov.br, um nome viável para sua empresa e deixá-lo reservado por um prazo de 30 dias, até viabilizar toda a documentação para a abertura da empresa.

AMIGO DO EMPREENDEDOR – Segundo Akel, o sistema permite uma consulta rápida, feita pela internet, e gratuita. “Está dentro da linha do governo Beto Richa, que é um governo amigo do empreendedor. Nós queremos implantar logo os produtos para desburocratizar os serviços, utilizando a tecnologia da informação, instrumentos modernos de controle de registros e treinamento dos relatores”, ressaltou Akel.

O Paraná é o segundo Estado a aderir os moldes do programa, que já tem um piloto no Distrito Federal. Esta é a primeira etapa do projeto a ser implantado no Paraná, cujo objetivo é reduzir o prazo de abertura de uma empresa para cerca de 8 dias, de acordo com Alex Francisco de Oliveira Barbosa, diretor de Tecnologia da Junta Comercial de Minas Gerais.

A Junta Comercial do Paraná não teve custo para o desenvolvimento do novo sistema, que foi feito em parceria a Junta Comercial de Minas Gerais, o Sebrae Nacional e o Departamento Nacional de Registro do Comércio (DNRC). “É um trabalho de integração para simplificar a vida do cidadão empreendedor”, afirma Barbosa.

Numa segunda etapa, será feita a implantação de um sistema de geração de documentos pré-padronizados, para facilitar a comunicação com a Receita Federal e a Secretaria da Fazenda.

RECICLAGEM – O encontro anual de Operadores da Jucepar serve para reciclagem do conhecimento dos funcionários com relação ao registro mercantil. Sueli Linares, da Associação Comercial de Arapongas, no Norte do Estado, considera uma oportunidade de conhecer e se atualizar, reciclar as mudanças para uniformizar os serviços e atender melhor o novo empreendedor. “Quanto mais agilidade e menos burocracia, melhor”, disse ela.

Também participaram do encontro o vice-presidente da Jucepar, Antônio Romão Montes; o secretário geral, Sebastião Motta; o procurador geral, Eduardo Barbosa, e o subprocurador do órgão, Marcos Vinícius Tadeu Pereira; o presidente do Sindicato dos Contadores do Paraná, Mauro Kalinke; além de representantes da Associação Comercial do Paraná, Henrique Domakoski; do Conselho Regional de Economia, Antônio Rubim; do Conselho Regional de Contabilidade, Armando Lira.