Por Denise Mello, Luiz Henrique Oliveira e Bruno Henrique

casamento hospital 2

Renato e Fernanda disseram sim / Foto: Sargento Stoco

Uma história de amor comoveu médicos, enfermeiros e pacientes do Hospital Cajuru, em Curitiba, na manhã desta terça-feira (27). Todos foram testemunhas do casamento de Renato Tarachuk, de 27 anos, e Fernanda Nalon, de 20, dentro da unidade onde o noivo está internado há 10 meses. Ele foi baleado na nuca durante uma tentativa de assalto na cidade de Bituruna, no centro-sul do Paraná. A bala ficou alojada no pescoço, perto da coluna, o que impede os movimentos do corpo. Renato está tetraplégico.

Para Fernanda, o amor dos dois é maior que tudo isso. Em uma cerimônia simples, os dois disseram sim diante do Pastor Eduardo Mella Provoste, da Igreja Adventista do 7º dia. “Vou te amar para sempre”, disse Fernanda diante dos convidados. Consciente, mas com dificuldades para falar em razão de uma traqueostomia, Renato estava muito emocionado e bastante feliz. Ele disse “sim” bem baixinho, mas todos conseguiram ouvir.

O sargento da reserva da Polícia Militar, Ori Stoco, amigo dos noivos, estava no casamento e contou que a cerimônia foi uma das mais emocionantes de sua vida. “Foi muito emocionante. A noiva não sabia se sorria ou chorava, estava muito emocionada. Na minha vida nunca vi um casamento desse tipo, muito lindo o amor deles”, afirmou.

casamento hospital 1

Convidados ficaram emocionados

História de amor

Renato e Fernanda planejavam se casar quando, em outubro do ano passado, uma tragédia mudou a vida do casal. Os dois estavam no carro, em Bituruna, quando foram abordados por um assaltante. Fernanda conta que Renato não reagiu em nenhum momento, mas, ainda assim, levou um tiro na nuca.

Desde então, há 10 meses, ele está internado no Hospital Cajuru. Durante todo o período, até a semana passada, permaneceu na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Fernanda nunca saiu do lado dele.

Na semana passada, Renato deixou a UTI e foi para um quarto. Para isso, ganhou de uma paciente uma cadeira de rodas usada, própria para sua tetraplegia. Foi nesta cadeira que ele entrou na sala de eventos para receber a benção do pastor e assinar os documentos do casamento civil.

Fernanda estava vestida de noiva, com uma felicidade contagiante. “Nunca duvidei que Renato é o homem da minha vida”, disse aos convidados.

O casal não teve lua de mel. Por enquanto, não há previsão de alta para Renato. O certo é que até o dia de ir para casa, Fernanda estará ao lado dele. “Aí temos o maior exemplo do que é um amor verdadeiro”, disse o sargento Stoco.