Da Redação

Pelas redes sociais, um jovem fotógrafo de 22 anos denunciou um caso de racismo envolvendo um motorista da Uber em São Paulo. De acordo com o relato no Facebook, Vinícius Ferreira conta que estava saindo de uma festa na Rua da Consolação quando percebeu um comportamento diferente do motorista, que, assim como ele, também é negro.

jovemracismo

Vinícius fez a denúncia nas redes sociais (Reprodução Facebook)

“Chegando, sem parar o carro, reconheci o rosto e cumprimentei “opa, Daniel?”. Ele fazia uma cara estranha e parou o carro a uns 7 metros mais a frente. Ok, entrei no carro e ele tava com um semblante de estranheza. Eu estendi minha mão pra cumprimenta-lo “tudo bem?”. Daniel não me respondeu e perguntou onde eu ia. Falei o nome da rua, dizendo que era ali na Consolação”, descreveu no Facebook.

Cinquenta metros depois, o motorista teria parado atrás de uma viatura da Polícia Militar e dito que achou Vinícius ‘suspeito’. “Eu não sabia como reagir, perguntando se era sério em meio a uns palavrões. Um dos PM ordenou que eu descesse do carro e começou aquela revista escrota e as perguntas, do tipo, onde eu comprei meu celular. Depois de ver se eu tinha passagem, o motorista foi embora e eu fiquei lá com cara de bosta. Tentando entender o tinha acabado de acontecer, apareceu um cara relatando uma atitude realmente suspeita, um cara tava armado próximo dali. O PM devolveu meu celular e disse pra eu descer a pé que chegava onde queria”, continuou.

Em nota, a empresa Uber afirmou que esse tipo de comportamento não é tolerado e disse que os motoristas são autônomos e utilizam a plataforma para obter benefícios individuais.

O caso teve mais de 10 mil curtidas e 2 mil compartilhamentos.