O arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, 77 anos, é o novo papa e sucessor de Bento XVI na chefia da Igreja Católica. Bergoglio é o primeiro pontífice latino-americano e jesuíta. É o papa de número 83 e o primeiro papa a assumir o pontificado com o antecessor vivo em 600 anos. Ele adotará o nome de Francisco.

Ele se tornou arcebispo de Buenos Aires em 1998 e foi nomeado cardeal em 2001, por João Paulo II. O nome do argentino não aparecia entre os mais cotados antes e durante o conclave, que reuniu 115 cardeais por dois dias.

Bergoglio deve celebrar amanhã (14) a primeira missa como papa eleito. A expectativa é que a primeira missa seja formal e simples, com o celebrante vestido de branco, sem os paramentos (trajes) e o anel do pescador – símbolo do sucessor de São Pedro, patrono da Igreja, que é usado no dedo anular direito. Essa cerimônia é considerada um momento marcante, pois, nela, o papa indica como será seu pontificado.

Nos próximos dias, então, será realizada a cerimônia de coroação. Na solenidade, o papa receberá as vestes e o sapato vermelho, além do anel de pescador. O cajado poderá ser entregue antes. Essa solenidade costuma reunir apenas os cardeais e alguns religiosos – padres e freis – que atuam como assistentes.

Ao som dos sinos da Basílica de São Pedro, fiéis em vigília na praça de mesmo nome, aguardaram por cerca de 50 minutos a célebre frase Habemus Papam (Temos Papa) e o anúncio do nome de Bergoglio. A demora entre o aparecimento da fumaça branca, indicando a eleição do papa, e o anúncio do nome foi causada por uma série de procedimentos adotados pelo Vaticano. Após a escolha, pergunta-se ao papa eleito se ele aceita a decisão do conclave. Se a resposta for positiva, ele é levado a um aposento onde se veste de branco para ser apresentado aos fiéis.

A Guarda Suíça, seguindo um ritual de séculos, participou da cerimônia em traje de gala. É um espetáculo à parte, pois os guardas usam roupas em veludo azul e fazem uma peregrinação até a frente da basílica.

Fiéis, religiosos, turistas e curiosos acompanharam atentamente a escolha do papa . Nem mesmo a chuva e o frio, de 8 graus Celsius, impediram as pessoas de aguardarem ao ar livre o anúncio do nome do papa.

O responsável pelo anúncio do escolhido foi o presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Interreligioso, cardeal protodiácono francês Jean-Louis Tauran, de 69 anos. A escolha de um francês para proferir a frase atende à exigência de essa ser uma atribuição do primeiro cardeal da ordem dos diáconos, da qual Tauran faz parte desde fevereiro de 2011. Em 2005, a eleição do papa emérito Bento XVI foi anunciada pelo cardeal chileno Jorge Arturo Medina Estevez.

Repercussão

A imprensa argentina destaca o novo papa. O jornal Clarin em sua capa na internet diz: “El nuevo Papa es el argentino Jorge Bergoglio”. Já o jornal esportivo Olé, conhecido por suas capas polêmicas brinca: “Las manos de Dios”, fazendo alusão à frase de Maradona sobre o gol de mão contra a Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo de 1986. Confirma a mancheteclicando aqui.

Confira a tradução do texto do site Olé:

“A mão de Deus. Maradona, Messi… e agora Jorge Mario Bergoglio, que foi eleito como novo papa. O cardeal recebeu 77 votos e será chamado Francisco. Pela primeira vez na história o chefe máximo da Igreja Católica é um argentino.

Falava-se que o italiano Angelo Scola e o brasileiro Odilio Scherer eram os favoritos…mas para a surpresa de todo mundo o anúncio do cardeal francês foi Jorge Margio Bergoglio. Depois do anúncio, o novo papa se apresentou saudando a todos na famosa sacada no Vaticano”, disse o jornal esportivo, que abriu uma excessão em sua linha editorial hoje para falar do Papa Francisco I.