Do Portal A Rede

O temporal com granizo que atingiu o município de Ipiranga, cidade na região dos Campos Gerais a cerca de 50 quilômetros de Ponta Grossa, trouxe prejuízo para quase metade da população e atingiu cerca de 7 mil pessoas entre desabrigados, atingidos e prejudicados.

granizo

Granizo atingiu região dos Campos Gerais (Foto: Reprodução A Rede)

Segundo informações do 2º Grupamento do Corpo de Bombeiros, o granizo causou estragos em mais de 1.780 casas e as pedras deixaram quase 30 pessoas feridas. Já no fim da tarde de sexta-feira, foi decretado estado de calamidade pública em Ipiranga. O processo é homologado com o Estado e é determinado pelo número de pessoas prejudicadas.

Segundo o tenente Pedro do 2º GB, o estado de calamidade significa que o município precisa da ajuda do Estado para conseguir se manter. “A ação significa que os prejuízos foram maiores do que o município dispõe para resolver a situação”, explica o tenente. A chuva com granizo começou por volta das 18h de quinta-feira (08) e se intensificou durante cerca de oito minutos, o que foi suficiente para criar o cenário de destruição, segundo o prefeito de Ipiranga, Roger Selski.

A chuva de granizo e vendavais afetaram 9.838 pessoas, em 17 municípios do Estado. Foram danificadas 2.407 residências, segundo o boletim da Coordenadoria Estadual de Proteção, divulgado às 16 horas. O vendaval que atingiu o município causou danos às instalações da Sanepar no município, prejudicando o atendimento e o serviço de abastecimento de água. Devido à falta de energia, a captação e o tratamento de água foram paralisados.

Os ventos e chuvas destelharam as edificações da Estação de Tratamento e do escritório de atendimento pessoal, o que requer reparo emergencial. Segundo o tenente Pedro, do 2º GB, o órgão segue mobilizado para arrecadar alimentos, colchões e ajudar as pessoas mais prejudicadas. O prefeito de Ipiranga, Roger Selski, destaca a força do temporal.

“Todos os prédios públicos da cidade foram destelhados. Desde o posto de saúde, até a Prefeitura, secretarias”, afirma Roger. Os desabrigados passam a ser alojados nos ginásios de esportes da cidade. “O nosso medo é que a chuva volte a tomar força. Estamos preocupados porque o cenário é triste”, destaca Roger.

As 19 Prefeituras que compreendem a Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) abriram suas portas para receber donativos para enviar para Ipiranga. Telhas onduladas, lonas, colchões, mantimentos e roupas podem ser doados nas prefeituras dos municípios. Em Ponta Grossa, as doações podem ser entregues na sede da AMCG, na rua Ataulfo Alves, 351, no Jardim América.