A investigação da quadrilha que foi presa nesta semana acusada de facilitar o contrabando de cigarro por meio de corrupção policial e influência política começou quando, em 2011, um policial rodoviário federal morreu atropelado em Guairá. Segundo informações da Polícia Federal, este policial escoltava caminhões de cigarro quando membros da quadrilha o atropelaram e fugiram sem prestar socorro.

Ainda segundo a PF, a investigação foi um sucesso por conta da ajuda do Ministério Público Federal de Umuarama, que descobriu o esquema e passou as informações à PF. O suspeito de comandar a quadrilha, Elielton Mayer, assessor parlamentar do deputado estadual Waldyr Pugliesi(PMDB), tinha um poder incrível de definir as nomeações de policiais que estivessem dentro do esquema.

A rota da quadrilha era entre Foz do Iguaçu e Medianeira, com um depósito em Faxinal e Mauá da Serra. Os policiais rodoviários estaduais envolvidos na quadrilha facilitavam a vida dos contrabandistas e ainda prejudicavam os dasgangue rivais, desviando cargas durante as apreensões.

A PF ainda espera, nos próximos dias, prender mais suspeitos de envolvimento no esquema.