Por Luiz Henrique de Oliveira

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Instituto quer saber onde estão os ex-alunos (Foto: Danilo Hatori – Jornal da Comunicação UFPR)

Há 17 anos o Projeto Rexona de Voleibol chegava ao estado do Paraná. No período em que por aqui ficou foram mais de 6 mil alunos atendidos, entre crianças e adolescentes. Atualmente a inciativa continua, mas trocou de nome, chama-se Núcleo de Iniciação ao Voleibol. Inúmeros Joãos e Marias participaram desta atividade esportiva e social e a curiosidade é saber como eles estão hoje e de que forma isto mudou suas vidas.

Com esta intenção, o Instituto Compartilhar, que é responsável pelo Núcleo de Iniciação ao Voleibol, promove a procura pela rede social facebook. Quem explica em detalhes qual a intenção desta resposta por parte dos ex-alunos é Josmar Coelho, coordenador pedagógico do projeto. “Nós sempre trabalhamos com valores de respeito, autonomia e queremos identificar o impacto do projeto na vida das pessoas. Como isto ajudou na formação deles como atletas e pessoas? No que estão trabalhando e onde estão agora?”, descreveu o coordenador em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (7).

Coelho salientou ainda que mesmo com a equipe profissional do Rexona não mais inserida, o projeto segue garimpando novos talentos para o voleibol. “Antes era no Tarumã e há seis anos estamos na Secretaria de Esportes, no Capão da Imbuia. O nível de atendimento continua em alta. Só o núcleo da capital tem 700 crianças de 9 a 15 anos e também temos unidades no interior”, descreveu.

Por fim, o coordenador pedagógico falou sobre o sonho de novamente ter uma equipe de voleibol profissional em Curitiba. “É um sonho e temos uma saudade muito grande. O povo do Paraná gosta de vôlei, tanto que o ginásio de Maringá, cidade que o ex-jogador Ricardinho trouxe um time profissional, vive cheio. Faço votos para que futuramente tenhamos uma equipe atuando no voleibol em Curitiba”, concluiu.

Quem é um ex-aluno e quiser participar da pesquisa do Instituto clique aqui.