O Instituto de Criminalística do Paraná entregou na manhã desta sexta-feira (08/02) o certificado de conclusão do Curso de Formação de Peritos Oficiais Criminais para 33 novos profissionais, nomeados pelo último concurso, realizado em 2007. Foram três meses de curso, totalizando 412 horas de aulas em período integral. O interior do Estado irá receber a maioria dos peritos, que começam suas atividades em 18 de fevereiro.

As aulas foram ministradas pelos peritos mais antigos da corporação, que hoje assumem a chefia das seções em Curitiba. A grade curricular do curso foi dividida em 25 disciplinas, como balística forense; delitos de trânsito; genética forense; identificação de veículos; inquérito policial e legislação penal, além do estágio supervisionado.

De acordo com o chefe de Gabinete da Secretaria da Segurança Pública, Walter Gonçalves, a contratação de novos profissionais demonstra o esforço e o apoio do governo Beto Richa, no sentido de ampliar a capacidade operacional. “Os novos peritos representam o investimento na área da Polícia Científica, que está sendo significativamente valorizada”, afirma.

Segundo o diretor do órgão, Marco Aurélio Bertoldi Pimpão, as seções de Paranaguá, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Londrina, Maringá, Umuarama, Foz do Iguaçu e Francisco Beltrão receberão 27 peritos. Os outros seis ficarão na sede, na capital.

“Hoje é um dia de muita alegria para a classe, pois o Estado acaba de formar estes peritos que, desde que ingressaram na instituição, em dezembro do ano passado, trouxeram um novo oxigênio para o trabalho. Espero que possam, daqui em diante, exercer com segurança e excelência a profissão que abraçaram”, comenta o diretor.

Pimpão ressalta que a nomeação dos peritos é parte do investimento do Governo do Estado por meio do programa Paraná Seguro, que prevê a reestruturação da segurança pública, em todas as áreas. Só no Instituto de Criminalística, o investimento em novas viaturas, obras, aquisição de equipamentos e modernização somam R$ 45 milhões.

A perita criminal Ana Carolina Odorizzi comentou sua satisfação de ingressar no instituto. “Tornar-se um perito é compreender a importância da materialização da prova e se incumbir da responsabilidade que a função exige. É também se dedicar com o conhecimento e ser um funcionário público de extrema importância para a sociedade”, disse.

A cerimônia foi realizada no quartel do Comando-Geral da Polícia Militar, em Curitiba, e contou com a participação do delegado-titular da Delegacia de Homicídios, Rubens Recalcatti, representando o delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinicius da Costa Michelotto; o subcomandante-geral, coronel José Vilmar Becker, representando o comandante-geral da Polícia Militar, Roberson Luiz Bondaruk, além de convidados e familiares.