Após o a desativação da Unidade Atenção ao Idoso Ouvidor Pardinho, no Centro de Curitiba, os aproximadamente 700 beneficiários do local protestam para pedir a reabertura imediata do espaço. De acordo com o colunista Aroldo Murá, a unidade foi desativada no último dia 8 e num abaixo-assinado iniciado nesta quarta-feira (13), os idosos sugerem que poderão mostrar a força que possuem, em defesa da unidade, que é usada para o estudo de línguas, para prática de dança circular, jogos, confraternização, prevenção de saúde, simples confraternização, entre outros.

Segundo Murá, o local que é mantido pela Fundação de Ação Social (FAS), com apoio de voluntários e funcionários da Prefeitura, a idéia é implantar um setor de estudos da chamada Medicina de Família do Município e os serviços de atenção aos idosos, realocado.

“Tenho certeza de que o prefeito Gustavo Fruet nunca imaginou que uma decisão da Prefeitura fosse causar tantos embaraços entre ele e parte muito representativa de um de seus grupos de apoio mais expressivos – os idosos. E oferecer, de mãos beijadas, um prato feito para as oposições ao prefeito”, afirma o colunista.

Para a idosa Lia Zoé Munhoz da Rocha, a unidade de vinha prestando um “serviço inestimável à terceira idade”. “A unidade era aberta a todos os da terceira idade. Precisava da inscrição na FAS, por motivo de vagas, mas algumas pessoas de mais de 90 anos compareciam aqui”, disse.

O abaixo-assinado dos idosos pode ser acessado aqui.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba garantiu que a realocação é temporária. “As atividades realizadas pela FAS foram transferidas temporariamente em razão das reformas da Unidade de Saúde instalada na Praça. Enquanto durarem as reformas, as atividades são ofertadas no Liceu de Ofícios Curitiba (Rua Monsenhor Celso, 35) e no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Rua da Cidadania Matriz (Praça Rui Barbosa, 101). Após a conclusão da reforma da Unidade de Saúde, as atividades desenvolvidas pela FAS voltarão a ser realizadas na Praça Ouvidor Pardinho.