SMCS
Jurandir Marcondes Ribas Filho passa a assumir os novos desafios do hospital a partir desta semana

O Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (HUEC) está sob nova direção. O doutor Jurandir Marcondes Ribas Filho passa a assumir os novos desafios do hospital a partir desta semana. Ele vai trabalhar junto com o médico urologista Maurus Vinícius Stier Serpe, que assume a direção-técnica da instituição. Jurandir assume o cargo que era ocupado por Odair Braun. Serpe assume no lugar de Luiz Felipe Natel Kugler Mendes.

Jurandir Marcondes Ribas Filho é médico cirurgião, doutor e mestre em cirurgia, membro titular da Academia Paranaense de Medicina e professor da Faculdade Evangélica de Medicina (professor de Cirurgia do Aparelho Digestivo). Foi presidente da Associação Médica do Paraná e vice-presidente da Associação Médica Brasileira.

O secretário municipal de Saúde, Adriano Massuda, recebeu nesta terça-feira (19) na Secretaria Municipal da Saúde o novo diretor-geral do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (HUEC), Jurandir Marcondes Ribas Filho, que acaba de assumir o cargo.

Massuda colocou a Secretaria Municipal de Saúde à disposição da nova diretoria para auxiliar nesse momento de transição. “O Evangélico é um hospital importante para Curitiba e para toda a população atendida pelo Sistema Único de Saúde. Pode ter certeza de que estamos juntos nesse novo desafio”, disse o secretário.

UTI

O Hospital Evangélico também fez a reabertura da Unidade de­­ Terapia Intensiva (UTI) geral no último dia 8 com equipe nova. A unidade foi fechada quatro dias depois da prisão da doutora Virgínia Soares de Souza, ex-chefe da UTI. O local está sendo comandado pelo médico Hipólito Carraro Júnior. A equipe soma 15 médicos, 41 profissionais de enfermagem e outros quatro de apoio.

Denúncias

A chefe da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico de Curitiba foi presa na manhã do dia 19 suspeita de facilitar a morte de vários pacientes. A doutora Virginia Soares de Souza foi presa durante uma investigação do Núcleo de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Nucrisa), da Polícia Civil do Paraná, em uma investigação sobre crimes contra a saúde pública de pacientes. Durante as investigações outros três médicos e uma enfermeira foram presos. Uma quarta doutora também está indiciada.