O Hospital do Trabalhador, de Curitiba, passará a integrar o programa S.O.S Emergências do Ministério da Saúde. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (7) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e garante um aporte extra de R$ 3 milhões ao ano para a aquisição de equipamentos e de R$ 3,6 milhões para custeio (R$ 300 mil mensais).

O Hospital do Trabalhador – hospital público do Governo do Estado – é o principal pronto socorro do Paraná, responsável por grande parte da demanda de urgência e emergência de Curitiba e da Região Metropolitana. Especializado em traumaortopedia, seu Pronto Socorro atende diariamente cerca de 300 pacientes, principalmente vítimas de acidentes de trânsito e violência interpessoal.

A unidade tem um custo mensal de R$ 8 milhões, com investimento do Governo do Estado em torno de R$ 4 milhões para manter o hospital. O restante é pago pelo Sistema Único de Saúde, que a partir de agora também repassará mais R$ 300 mil mensais por conta da adesão ao S.O.S Emergência.

Segundo o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, os novos recursos são muito bem-vindos e auxiliarão no processo de qualificação do hospital, que já vem sendo realizado pelo governo estadual. “Todos sabemos da importância do Hospital do Trabalhador para Curitiba e região. Fizemos uma série de melhorias nestes dois anos e isso já reflete na qualidade do atendimento prestado”, explicou.

INVESTIMENTOS – No final de 2012, o Governo do Estado entregou ao Hospital do Trabalhador dois aparelhos de raio x portáteis, um tomógrafo e inaugurou, também, o novo Pronto Socorro da unidade, com investimento de R$ 4,1 milhões. Com a habilitação dos novos leitos no setor (processo em andamento no Ministério da Saúde) crescerá para 30 o número leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que hoje conta com 212 leitos. Serão mais 20 leitos de UTI adulto, 8 de UTI neonatal e 2 de UTI neonatal pediátrica.

De acordo com o diretor do Hospital do Trabalhador, Geci Labres de Souza, existe um estudo para compra do terreno ao lado do hospital para a construção da nova maternidade. “Esta realocação de espaço viabilizará a ampliação do número de leitos gerais dentro do hospital. Além disso, as gestantes serão atendidas em uma estrutura mais moderna e acolhedora, como prevê o Mãe Paranaense”, ressaltou.

QUALIFICAÇÃO – Com a adesão ao programa federal, o Hospital do Trabalhador também terá a consultoria de uma equipe do Hospital Sírio Libanês (SP) para organizar o fluxo de atendimento no Pronto Socorro. O objetivo é adotar medidas que humanizem o atendimento e melhorem a classificação de risco dos pacientes.

A equipe do Sírio Libanês visitou o hospital no início desta semana para fazer um diagnóstico da situação do pronto atendimento. No próximo mês, a consultoria entregará um relatório com propostas para melhorar o fluxo, diminuindo o tempo de espera dos pacientes no Pronto Socorro. No setor também serão instaladas câmeras que vão possibilitar o monitoramento do Pronto Socorro.