Redação

tarifa nova1Tarifa passa nesta terça para R$ 2,85 – Foto: curitiba.pr.gov.br

Hoje (10) é o último dia que o usuário tem para abastecer o cartão-transporte com tarifa de R$ 2,70 para a passagem do transporte coletivo na Rede Integrada de transporte – que inclui Curitiba e mais 13 municípios vizinhos. A partir da zero hora desta terça-feira (11), a tarifa passará para R$ 2,85, voltando ao valor de março de 2013. O valor foi definido em conjunto pela Urbs e Coordenação da Região Metropolitana (Comec) e anunciado na última sexta-feira (7). A prefeitura de Curitiba trata o aumento como um ajuste e já avisou que reajuste mesmo virá em fevereiro ou março de 2015, após a database dos motoristas e cobradores. “Este é apenas um ajuste na tarifa, que volta ao valor anterior de junho de 2013. O reajuste da tarifa vai acontecer mesmo em 2015, quando acontecer o aumento dos motoristas e cobradores”, disse o presidente da Urbs, Robrto gregório.

A medida reduz a diferença entre o valor pago pelo usuário e o custo real do transporte, que atualmente exige um subsídio mensal de R$ 12 milhões. No total, de fevereiro do ano passado a outubro deste ano, foram destinados R$ 194 milhões dos cofres de Curitiba e do Estado para cobrir essa diferença.

Nos terminais de ônibus, muitos passageiros reclamaram hoje cedo do novo valor. Outros concordaram. “É assim mesmo. Fó só passar a eleição e o aumento veio e vem mais. O que eles pensam, que o povo é bobo?”, disse o zelador Jonas Campos, que usa duas passagens por dia.

Já a diarista Maria da Graça Vale diz que a passagem ia ter que subir mesmo. “Sobe tudo, claro que a passagem ia subir. O duro é que não consigo cobrar mais pela minha diária”, afirmou a trabalhadora que usa quatro passagens por dia e mora em Colombo.

Congelada

A tarifa de ônibus está congelada há um ano e quatro meses – desde julho do ano passado, quando foi reduzida de R$ 2,85 para R$ 2,70. Nesse período, a Prefeitura de Curitiba alega que vem destinando R$ 4,5 milhões por mês e o Estado cerca de R$ 7,5 milhões/mês para cobrir a diferença entre o valor pago pelo usuário (R$ 2,70) e a chamada tarifa técnica (R$ 3,18), que corresponde ao custo real do transporte e é o valor repassado às empresas de ônibus.

A Prefeitura fez este ano uma série de cortes administrativos que permitiram reduzir a tarifa técnica em R$ 0,13.

O Município também ingressou na Justiça com um pedido de antecipação de tutela para reduzir a tarifa técnica em mais R$ 0,15. Mas o pedido foi negado, o que tornou inviável a manutenção da tarifa em R$ 2,70.

“Fizemos todo o esforço possível e conseguimos manter o valor de R$ 2,70 por mais de um ano e quatro meses, mas não é mais possível bancar o subsídio sem comprometer outras áreas essenciais da administração pública”, explica o presidente da Urbs.

Fevereiro

URBS e Comec definiram ainda que a partir de fevereiro de 2015, a tarifa do usuário volta a ser corrigida anualmente, levando em consideração o impacto do reajuste da folha de pagamento de motoristas e cobradores (que hoje representa 47% da tarifa), variação do óleo diesel e outros insumos.

O salário de motoristas e cobradores teve reajuste de 10,5% em 2013 e de 10,5% em fevereiro deste ano.

Por força do contrato, assinado após a licitação de 2010, a tarifa técnica deve ser reajustada no dia 26 de fevereiro de cada ano.

A partir de março de 2015, a RIT terá tarifa diferenciada para usuários que pagam em dinheiro e para os que usam o cartão-transporte.

A tarifa domingueira segue inalterada, a R$ 1,50. A Linha Turismo passa de R$ 29,00 para R$ 30,00 e a Circular Centro de R$ 1,70 para R$ 1,80.

A Rede Integrada de Transporte tem uma frota operante de 1.945 ônibus que fazem, por dia, 21,5 mil viagens. A RIT transporta 2,3 milhões por dia e destes, 1,1 milhão são passageiros pagantes equivalentes sendo que 56% das passagens já são pagas com cartão transporte, índice que era de 53% até junho. Esse crescimento no uso do cartão transporte significa que R$ 300 mil deixam de circular em ônibus, estações e terminais, aumentando a segurança de usuários e operadores.

Notícia relacionada:

Urbs aumenta tarifa de ônibus em R$ 0,15 em Curitiba e já fala em outro reajuste para 2015