Por Agência Estadual de Notícias

Duas solenidades marcaram a formatura de 127 agentes penitenciários do Paraná que receberam certificado de conclusão do 1º Curso de Operações Especiais Penitenciárias. Eles passam a integrar um grupo especializado do Departamento de Execução Penal (DEPEN), preparado para agir em situações extremas como rebeliões, motins e ações de violência dentro do sistema penitenciário paranaense.

Ministrado pela diretoria de Ensino e Pesquisa da Polícia Militar, em conjunto com o DEPEN e a Escola de Educação em Direitos Humanos da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, o curso tem conteúdos que abrangem Direito Penal, Direitos Humanos e Intervenção Tática Prisional, além de outras 36 disciplinas. Toda a grade curricular visa a construir um tratamento penal eficiente e humanizado.

O curso, com 280 horas de duração, foi dividido em dois grupos distintos. Uma turma, de 52 agentes, cuja formatura foi realizada no último dia 10, recebeu o treinamento em Maringá, na 2ª Escola de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Praças.

Neste fim de semana, no Restaurante Madalosso, em Santa Felicidade, foi a formatura do grupo de Curitiba, com 75 agentes penitenciários, capacitados na Academia Militar do Guatupê, da Polícia Militar do Estado.

Uma das homenageadas no evento, a secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná, Maria Tereza Uille Gomes, destacou que o objetivo do grupo é garantir a segurança e a vida daqueles que cumprem pena e também dos servidores do Estado que desempenham atividades nos estabelecimentos penais do Paraná. “Eles receberam formação técnica e humana, com foco no respeito aos direitos humanos de todos os cidadãos, mesmo aquele que cometeu um ato ilícito e por isso cumpre pena”, disse ela. “Esse curso é de grande importância para a administração das unidades penitenciárias e para a própria sociedade”.

Outros homenageados na formatura em Curitiba foram o deputado Mauro Moraes, paraninfo da turma, e o diretor de Ensino e Pesquisa da Polícia Militar do Paraná, coronel Douglas Sabatini Dabul. A turma foi representada pelo servidor e aluno Humberto Ferreira Benigno Jr.

Os agentes penitenciários que passam a integrar o grupo especializado já prestavam serviços em unidades prisionais do Estado e foram aprovados em testes físico, médico e psicológico, realizados por três meses antes do início das aulas teóricas e práticas. Eles passam a formar a Seção de Operações Especiais do DEPEN/PR, dividida em três bases regionais: uma em Curitiba, outra em Guarapuava e a terceira em Londrina. Ambas as turmas – de Maringá e Curitiba – receberam o nome do agente penitenciário Vilmar Antonio Prestes da Silva, morto em março deste ano.