O Grupamento Aeropolicial e Resgate Aéreo (Graer), da Secretaria Estadual da Segurança Pública, completou na última quinta-feira (28), seis meses de atuação em Londrina. Neste período realizou 264 missões.

Londrina é a primeira base do Graer no interior do Estado. Atende a 90 municípios do Norte e Noroeste, com população estimada em 1,8 milhão. O Graer se utiliza de um helicóptero Bell Jet Ranger, com quatro tripulantes.

A aeronave deverá ser substituída em breve por outra, de maior capacidade, com sete lugares, potência e autonomia de voo. A licitação realizada pelo governo do Estado deve receber as propostas nesta terça-feira (2).

A nova aeronave, além de permitir atuação mais abrangente e eficaz da equipe de Londrina, possibilitará a criação de uma nova base do Graer em Foz do Iguaçu.
A descentralização desse serviço, determinada pelo governador Beto Richa, prevê três bases regionais, além da de Curitiba. A quarta base ainda não tem local definido para instalação.

Quando as quatro bases entrarem em operação, todos os municípios do Paraná estarão, no máximo, a 25 minutos de uma equipe do Graer.
As 264 missões realizadas pelo Graer de Londrina foram de patrulhamento urbano (80), policiais (71), de bombeiros (68), treinamento, traslado, manutenção e demonstração (45), e transporte de vítimas (64). Além dessas, dez missões foram abortadas.

“Somos acionados quando os outros meios à disposição da Polícia Militar não têm condições de atender a ocorrência ou para reforçá-los”, diz o major Julio Cesar Pucci, comandante da guarnição de turno do Graer em Londrina. “E uma vida que salvamos – e já salvamos muitas – justifica nossa existência”. A base do Graer em Londrina fica no Aeroporto José Richa.