O projeto da construção de um presídio agrícola na divisa do bairro Santa Felicidade, em Curitiba, com o município de Campo Magro, na região metropolitana, está movendo um protesto entre os moradores das regiões. Por meio das redes sociais, os moradores prometem estar às 15 horas da próxima terça-feira (19) em frente à Prefeitura de Campo Magro para manifestar discórdia quanto ao projeto.

A Secretaria de Justiça do Paraná confirma a existência do projeto e diz que lá funcionaria o sistema semiaberto, onde os presos passam o dia livre e voltam à noite para dormir na cadeia. O terreno de 40 alqueires onde o projeto prevê a construção do presídio pertence à Fundação da Ação Social (FAS) de Curitiba.

De acordo com informações apuradas pela Rádio Banda B, na segunda-feira (18) a secretária da Justiça MariaTerezaUille Gomes tem um encontro com representantes da Associação do Comércio e Indústria de Santa Felicidade. No outro dia, mesmo em que a população promete se manifestar, terá reunião com os moradores em uma audiência pública às 19 horas no salão paroquial da Igreja Matriz.

Protesto

O morador de Santa Felicidade, Magro Luiz Antunes Rodrigues, é quem encabeça o protesto. Por meio de uma imagem ele convoca moradores das duas regiões para protestar contra a instalação do presídio. “Este terreno, inexplicavelmente, foi doado ao Governo do Estado no último ato do ex-prefeito Luciano Ducci, de maneira bem esquisita. Não queremos o presídio. Invocamos todas as determinações do Estatuto da Cidade – Lei 10.257 para impedir esta barbaridade”, diz a mensagem que já possui quase mil compartilhamentos na rede social Facebook.

Resposta

A Secretaria de Justiça do Estado informou, por meio da assessoria, que todas as informações e dúvidas sobre o projeto serão discutidas com a comunidade em audiências públicas.