O governador Beto Richa lançou nesta sexta-feira (05/04), no município de São Pedro do Ivaí, no Noroeste do Estado, o programa Caminhos do Desenvolvimento – Sucroalcooleiro, que vai melhorar a infraestrutura nas estradas rurais entre as áreas de plantio da cana-de-açúcar até as usinas de processamento.

Serão investidos R$ 300 milhões, até 2016, numa parceria entre Estado e o setor produtivo. Até o final de 2014, serão beneficiados 73 municípios do Noroeste e Norte Pioneiro, cuja produção canavieira tem forte impacto na economia e onde vivem cerca de 1,5 milhão de paranaenses. Vinte e cinco usinas e destilarias serão atendidas.

O programa, lançado simultaneamente à abertura oficial da safra nacional de cana-de-açúcar 2013/2014, tem como objetivo dar mais competitividade à produção paranaense, com a redução no custo do frete e agilidade no acesso às usinas. O Paraná é o quarto produtor de cana do país, com cerca de 610 mil hectares de área plantada e uma produção anual de aproximadamente 37 milhões de toneladas por ano.

“Com este programa vamos dar competitividade à produção paranaense. É o governo agindo de forma incisiva na consolidação de um Estado forte e competitivo”, afirmou Beto Richa. O governador ressaltou que o plano, discutido diretamente com o setor, ajudará a solucionar uma das maiores demandas dos produtores de cana.

A iniciativa do Governo do Paraná acontece por meio de convênio com a Associação dos Produtores de Álcool e Açúcar do Estado do Paraná (Alcopar). Nos dois primeiros anos serão investidos R$ 168 milhões – R$ 104 milhões da Secretaria de Infraestrutura e Logística e R$ 64 milhões da Alcopar – para beneficiar 73 cidades das regiões Norte e Noroeste do Estado. As prefeituras vão participar aderindo ao programa e, depois, realizando manutenções nas novas pontes e estradas que forem melhoradas.

PARCERIA – “Unindo esforços do Governo do Estado, das prefeituras e da iniciativa privada, conseguiremos atingir resultados muito melhores. Todos ganham nesta parceria, que trará ainda mais desenvolvimento para o Paraná”, disse Richa. Segundo ele, em breve serão formalizados convênios com outros setores agrícolas que querem parceria similar com o governo estadual.

De acordo com a Alcopar, o setor sucroalcooleiro paranaense gera uma receita de mais de R$ 1,6 bilhão ao ano. “Com esta parceria o Paraná dá um salto para reduzir o custo do Brasil e ajudar o setor a ser mais competitivo, gerando mais empregos no Estado“, disse o presidente da Alcopar, Miguel Tranin.

“Um programa muito importante para as empresas sucroalcooleiras. Continuamos, sempre, a contar com apoios como este do governo estadual”, discursou Paulo Adalberto Zanetti, presidente da Renuka Vale do Ivaí S.A., que foi a anfitriã do lançamento da safra 2013/2014.

PROGRAMA – O programa Caminhos do Desenvolvimento – Sucroalcooleiro prevê, nos dois primeiros anos, a recuperação de 1.500 quilômetros de estradas municipais e também a construção de 151 pontes e 49 trincheiras. Também faz parte do projeto o uso de um barco e dois rebocadores.

Os trabalhos iniciam com a autorização para a aquisição das quatro patrulhas do campo (conjunto de equipamentos destinados à recuperação de estradas rurais) e a construção de trincheiras em Paranacity, Rondon e Ivaté – cujo investimento será de R$ 2,5 milhões em cada – e a elaboração de projetos. Os recursos, de R$ 42 milhões, foram liberados na solenidade de lançamento.

“Além dos R$ 168 milhões, o programa prevê a aplicação de quantia similar para os anos de 2015 e 2016”, adiantou o secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. “Vamos melhorar ainda mais as estradas e ampliar o número de municípios que serão beneficiados”, disse o secretário.

PRODUÇÃO – Conforme informações da Secretaria de Estado da Agricultura, o Paraná é o quarto produtor de cana-de-açúcar no Brasil. São cerca de 610 mil hectares de área plantada, com 27 indústrias em atividade (21 usinas e seis destilarias). O Estado é responsável por 8% do açúcar produzido no Brasil (3º produtor nacional) e 5,5% do etanol (4º produtor nacional).

No Paraná, são produzidas três milhões de toneladas de açúcar e 1,3 bilhão de litros de etanol por ano. A colheita de cana no Estado é feita 65% manualmente e 35% mecanizada. De acordo com a Alcopar, o setor gera no Paraná 50 mil empregos diretos (12 mil no campo e 38 mil na indústria).

REFLEXOS – Com o programa, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) espera retirar parte dos 1,5 milhão de caminhões, a maioria bitrens, que hoje circulam pelas rodovias estaduais no período da safra de cana-de-açúcar. “Por serem pesados, eles acabam engarrafando o trânsito e também pondo em risco os motoristas. Além disso, por causa do tamanho e peso, causam danos às rodovias, aumentando o custo de manutenção das estradas estaduais para o governo”, ressaltou Richa Filho.

Ao melhorar as condições das estradas rurais, o Estado também facilitará o acesso do transporte escolar e aos serviços de saúde, além de favorecer a circulação dos moradores das zonas rurais. O programa prevê que as usinas façam investimentos na elaboração de projetos de obras de trincheiras e melhorias de estradas, além de ajudar no custeio das obras de trincheiras e na colocação de pontes. A execução das obras ficará a cargo do DER, que também vai investir na construção das trincheiras.