Os secretários da Saúde, Michele Caputo Neto, e da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, lançaram nesta quinta-feira (7), em Curitiba, a campanha Mulher de Atitude Previne o Câncer de Colo de Útero. O lançamento aconteceu no encontro que reuniu mais de 800 mulheres – prefeitas, vereadoras, lideranças femininas e profissionais de saúde – para discutir a saúde feminina. O evento continua nesta sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher.

O câncer de colo de útero é a segunda causa de morte por câncer entre as mulheres do Paraná. Somente em no ano passado, 266 mulheres morreram no Estado em decorrência da doença. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer para 2013 é que sejam diagnosticados 770 casos novos da doença no Paraná. Se o câncer for diagnosticado no início, pode ter 100% de cura.

O secretário da Saúde destacou que não faltarão kits para exames preventivos (papanicolau) e mamografias no Paraná. “Não há limitação de exames no Estado. Estamos ampliando o número de preventivos em 15 das 22 Regionais de Saúde”, afirmou. Em 2012, foram realizados 753 mil exames preventivos, 80% em mulheres entre 25 e 64 anos.

Para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama – primeira causa de morte por câncer entre as mulheres paranaenses – o secretário também destacou que neste ano serão implantadas centrais de laudos para exames de mamografia em três cidades de referência macrorregional – Londrina, Maringá e Cascavel. “Estas centrais serão estruturadas em parceria com as universidades para auxiliar na conferência e na emissão de laudos das mamografias realizadas no Paraná”, completou.

A secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, destacou que a prevenção é a saída e solução para quase todos os problemas, seja na prevenção do câncer, no alcoolismo, na drogadição. “Esta é mais uma campanha de prevenção do Governo do Estado. Que todas nós sejamos mulheres de atitude e cuidemos da saúde física e mental”, afirmou.

A superintendente de atenção à saúde, Márcia Huçulak, enfatizou que cerca de 30% das mulheres paranaenses sexualmente ativas nunca fizeram exames de colo de útero e mama. “Esta campanha é para sensibilizar mulheres, principalmente com baixa escolaridade e condições socioeconômicas desfavoráveis”, disse. Ela recomenda que o exame preventivo seja feito, no mínimo, a cada dois anos.

Também participaram do lançamento, a prefeita de Leópolis, Cleia de Oliveira (representando todas as prefeitas do Paraná), a deputada estadual Marla Tureck, a presidente do Conselho Estadual de Saúde, Joelma Carvalho, o secretário-executivo do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Jurandi Frutuoso, o diretor de relações institucionais do Hospital Erasto Gaetner, Mário Bosso, a representante do Conselho da Mulher do Paraná, Neuralice Maina, e a representante da União Brasileira de Mulheres, Dóris de Jesus.

Homenagem – Fernanda Richa e Márcia Huçulak foram homenageadas pelo Grupo Mulheres de Palha, que faz artesanato com folhas de bananeira na região de Londrina. Rosalina Batista e Maria Jandira Marcelina da Silva agradeceram ao Governo do Paraná pelas políticas públicas voltadas às mulheres paranaenses.

Investimentos – O Governo do Paraná também investe na Rede Mãe Paranaense para atenção materno-infantil, inclusive com a vinculação das gestantes aos hospitais de referência. A atenção primária (porta de entrada do Sistema Único de Saúde) também está sendo fortalecida no Estado com a construção, reforma e ampliação Unidades da Saúde da Família – 64 já foram concluídas e outras 103 estão em construção. Este ano serão liberados recursos para a construção de mais 150 e, até 2014, serão 400 novas unidades de saúde em todas as regiões do Estado.

O evento Mulher de Atitude abordou diversos temas como a saúde mental e violência contra a mulher. O secretário Michele Caputo Neto enfatizou que 34 municípios paranaenses vão receber recursos para organizar a estrutura de enfrentamento da violência. No ano passado, outros 19 municípios receberam recursos estaduais para implementar Núcleos de Prevenção da Violência e Promoção da Saúde. O Ministério da Saúde repassa recursos para mais 43 municípios paranaenses.