Governo do Paraná construirá 70 novas escolas em várias regiões do Estado. Metade deste pacote já está em obras. Somente em 2013 o governo está investido R$ 500 milhões em infraestrutura. São construções, reformas, ampliações de unidades e implantações de quadras esportivas nas escolas da rede estadual.

Além das escolas já em execução, outras 35 estão com recursos assegurados e as licitações sairão no decorrer do ano. Entre 2011 e 2012 foram entregues outras 24 unidades novas.

“É um processo de modernização da estrutura das escolas, mais adequadas para estudantes e professores. As obras estão nas regiões que mais precisam desses equipamentos. Além de melhorar a estrutura, as obras permitem ampliar o número de turmas e ainda expandir a educação integral”, diz o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns.

Uma das novas escolas em construção fica no distrito de Agrocafeeira, no município de Matelândia. O novo prédio do Colégio Estadual Rui Barbosa atenderá aproximadamente mil alunos.

O prefeito de Matelândia, Rineu Menoncin, explica que a escola vai ficar mais perto dos estudantes e o município economizará com transporte escolar. “O distrito fica distante da escola atual. Solucionar isso era uma promessa deixada pela gestão passada. O governador Beto Richa assumiu o compromisso e cumpriu”, disse Menoncin.

A espera pela obra é confirmada pela diretora do colégio Rui Barbosa, Ineide Erecina Gasparin. “Todos por aqui aguardamos essa nova escola há mais de 9 anos. O impacto na qualidade do ensino e do aprendizado dos alunos será enorme”, avalia Ineide. A nova unidade começa a funcionar no segundo semestre deste ano.

Em Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba, alunos do Colégio Estadual Geraldina da Mota estudam no novo prédio desde o começo do bimestre. Faltam apenas alguns detalhes na quadra esportiva para finalizar por completo a nova unidade. A comunidade aguardava a obra desde 2006.

Ainda no primeiro semestre do ano começará em Cantagalo, região Centro-Sul, a construção de uma nova escola, na Vila Caçula, para atender 1,6 mil estudantes nos três turnos do dia. A nova unidade terá 14 salas, laboratórios e refeitório. O investimento de R$ 5 milhões ajudará a desafogar a demanda do Colégio Estadual Olavo Bilac.

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL – Das novas escolas em construção, 12 são Centros de Educação Profissional. Cada um deles terá capacidade para até 1,2 mil alunos. Outras seis novas unidades voltadas ao ensino profissionalizantes serão licitadas. “Investir e ampliar o ensino profissionalizante é um dos grandes compromissos que assumimos e que também estamos cumprindo”, destaca Arns.