O Governo do Paraná oficializa nesta terça-feira (15) a doação da área de 10 mil metros quadrados no bairro Vila Izabel, em Curitiba, onde será construído o Hospital Sírio-Libanês do Paraná. A doação será feita à Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben), responsável pelo projeto. A área está localizada na Rua Tamoios, ao lado do terreno onde funciona o Colégio Estadual para Surdos Alcindo Fanaya Júnior.

“Na sua primeira fase, o hospital contará com 220 leitos, um centro de ensino e pesquisa e um centro de diagnóstico e terapias ambulatoriais. Teremos foco em algumas especialidades médicas, tais como Oncologia, Cardiologia, Cirurgia Bariátrica, Urologia, Proctologia, Neurocirurgia, Cirurgia do Aparelho Digestivo, Terapia Intensiva e Ortopedia”, explica o dr. Rached Hajar Traya, presidente da Saben. Para esta fase já existe uma parceria operacional firmada pela Saben com a Associação do Sanatório Sírio, mantenedora do Hospital do Coração de São Paulo.

O projeto está orçado em cerca de R$ 500 milhões e os recursos serão captados junto à comunidade árabe de Curitiba e do Paraná e fundos filantrópicos de países árabes, bem como entidades públicas de fomento e parcerias público-pprivadas..

A previsão do presidente da Saben é de que as obras sejam iniciadas até o final do primeiro semestre deste ano e que a primeira fase entre em funcionamento em 2015. A partir daí, a Saben dará início à segunda fase do projeto, que prevê a construção de uma unidade materno-infantil, com um Centro de Especialidades Pediátricas, uma UTI Neonatal e Pediátrica, uma Maternidade, um Centro de Oncologia Ginecológica e um Centro de Reprodução.

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) começou a ser idealizada em 1991, a partir do sonho de três médicos paranaenses – Regina Maida Mansur, Rached Hajar Traya e Luiz Widolin – que tinham como projeto construir um hospital gerido e mantido pela comunidade árabe paranaense, como forma de retribuir ao Estado a acolhida dada aos seus antepassados.

Em outubro de 1993, foi eleita uma Comissão Provisória que elaborou o estatuto da entidade e deu posse à sua primeira diretoria, presidida por Lorys Jorge Marchesini, em maio de 1994. Naquele ano, o arquiteto Eduardo Guimarães desenvolveu o primeiro projeto arquitetônico de um futuro hospital, idealizado pelos jovens médicos residentes. A maquete ficou em exposição na sede do Clube Sírio e Libanês nos últimos 18 anos como sinal de um sonho que começa a se tornar realidade.

Em dezembro de 2011, a Saben passou por uma estruturação e o médico Rached Hajar Traya assumiu a presidência da entidade e sua diretoria é composta pelos seguintes médicos: Elie Lebbos (vice-presidente), Imad Izat El Tawil (1o. Secretário), Augusto Viana Franco de Oliveira (2o. Secretário), Renato César Sahagoff Raad (1o. Tesoureiro) e Jamil Faissal Soni (2o. Tesoureiro). A Saben é uma entidade filantrópica com títulos de Utilidade Pública municipal e estadual.