O governador Beto Richa autorizou nesta quinta-feira (21/03), em Curitiba, a realização de concurso público para a contratação de 700 profissionais técnicos para o Instituto Paranaense de Assistência Técnica (Emater) e outros 546 para a Agência de Defesa Agropecuária (Adapar). Ao todo serão 1.246 novos servidores. O edital do concurso será lançado nos próximos 15 dias.

“Herdamos um Estado com estruturas para atendimento e apoio à agricultura e pecuária completamente desmanteladas. Com planejamento e austeridade na aplicação dos recursos foi possível lançar este concurso”, disse Beto Richa, aos dirigentes de entidades patronais e sindicatos rurais e servidores do Estado que participaram de um café da manhã para lançamento do concurso, na sede do Instituto Emater.

Richa também destacou que o Instituto Emater lançou um Programa de Demissão Voluntária (PDV) que deverá resultar em uma economia de R$ 15 milhões na folha de pagamento do Estado. A medida vai possibilitar a realização de concurso para a contratação de novos servidores. “A expectativa é aumentar a receita até a realização do concurso porque a população, e principalmente os produtores rurais, não podem esperar”, destacou Richa.

Segundo o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o PDV do Instituto Emater deverá ter a adesão de cerca 300 funcionários já aposentados e que ainda prestam serviço na empresa. “Há anos a empresa não passa por renovação em seus quadros”, disse Ortigara.

Ele ressaltou que o PDV terá a duração de aproximadamente um ano, até que os técnicos antigos que irão se desligar repassem seus conhecimentos aos técnicos que estão chegando. A idade média dos funcionários da Emater é de 55 anos, com 31 anos de casa.

O último grande concurso público realizado para o Instituto Emater foi em 1991. Para a Adapar, este é o primeiro processo seletivo desde que a empresa foi criada em 20 de dezembro de 2011. “Estamos promovendo condições de trabalho aos produtores rurais e o desenvolvimento do agronegócio em todo o Estado”, disse Richa.

PROFISSIONAIS – No Instituto Emater, serão contratados 700 profissionais, entre engenheiros (Agrônomo, Alimento, Florestal, Pesca), técnicos em agropecuária, assistente social, economista doméstico, médico veterinário e zootecnista. Além dos profissionais nomeados no concurso público, o Quadro Próprio do Poder Executivo (QPPE) deverá fornecer mais 300 funcionários que darão o suporte na área administrativa.

Na Adapar, serão ofertadas 546 vagas para médicos veterinários, engenheiros agrônomos e técnicos em Manejo e Meio Ambiente. Cerca de 570 postos de trabalho já são ocupados por profissionais remanescentes do antigo Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (Defis), órgão da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. No total, as duas estruturas contarão com 1.546 novos servidores.

O secretário Norberto Ortigara disse que a ampliação dos programas do governo estadual e políticas públicas e a demanda crescente por tecnologia exigem um reforço nas estruturas. “A grande demanda por diversificação faz aumentar a cobrança pelos prefeitos no apoio ao planejamento municipal para a agricultura”, afirmou.

O presidente da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Agide Meneguette, ressaltou que o concurso estava sendo aguardado com expectativa pelas lideranças do agronegócio paranaense. “Por anos, a Emater ficou sem o número suficiente de técnicos para o atendimento aos produtores rurais. Com os novos servidores, vamos ampliar o atendimento em todas as regiões”, afirmou o presidente do Instituto Emater, Rubens Ernesto Niederheitmann.

EMATER – Em 2012, o Instituto Emater participou da execução de projetos técnicos de incentivo ao desenvolvimento, que embasaram o repasse de R$ 1,3 bilhão em crédito rural para a Agricultura Familiar paranaense. A empresa atua em parceria com todas as entidades do meio rural, como sindicatos patronais e de trabalhadores, cooperativas, agentes financeiros como Banco do Brasil, BRDE, BNDES, Fomento Paraná e órgãos como o Iapar, Embrapa e sociedades rurais.

Por determinação do governador Beto Richa as prefeituras de pequenos municípios foram isentas do pagamento dos serviços prestados pela instituição, que exerce o papel fundamental em programas do Governo do Paraná como Gestão de Microbacias, Pró-Rural, Habitação Rural, Trator Solidário, Pronaf, Leite das Crianças, Fundo de Aval e Seguro Rural.

ADAPAR – A Agência de Defesa Agropecuária (Adapar) atua na manutenção do “status” sanitário das culturas agrícolas, dos rebanhos pecuários e na qualidade dos produtos da agropecuária paranaense que vão tanto para o mercado de exportação como para o mercado interno.

“Para cumprir as exigências dos mercados, a estrutura da Adapar precisa ser adequada urgentemente com a ampliação do número de profissionais, que será alocado para as atividades de fiscalização e do cumprimento das ações necessárias à defesa agropecuária”, disse o presidente da Adapar, Inácio Afonso Kroetz.

A instituição executa programas para o controle e erradicação de doenças e pragas que atingem os rebanhos e culturas de interesse econômico ou de importância à saúde da população. Também promove a segurança, a regularidade e a qualidade dos insumos de uso na agricultura e pecuária paranaenses.