O Governo do Paraná e o Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Estaduais do Paraná formarão um grupo de trabalho para avançar na implantação de um novo modelo de plano de saúde para os funcionários estaduais. Em entrevista à Banda B nesta quarta-feira (24), odiretor de Seguridade Funcional da secretaria de Administração e Previdência e Educação, Wagno Rigues, admitiu os problemas que o Sistema de Assistência à Saúde (SAS) vinha sofrendo e anunciou a mudança.

“O SAS vinha com uma série de insatisfações devido a demora, então começamos a trabalhar em um modelo que atendesse a população de maneira digna. No próximo dia 30 o convênio com o Hospital da Polícia Militar acaba e iniciamos um com o Hospital Evangélico”, disse.

A secretária da Administração anunciou ainda que por determinação do governador Beto Richa está tomando medidas emergenciais para melhorar o SAS, que atende aos servidores estaduais e dependentes. Na Região Metropolitana de Curitiba e Litoral o atendimento passará a ser feito pelo Hospital Evangélico.

A expectativa é de que o Evangélico comece os atendimentos no prazo de 30 dias.

O contrato com o Hospital Evangélico estabelece o cumprimento de metas e redutores, um sistema que não havia anteriormente. Nesse caso, o hospital somente receberá o valor integral do mês se cumprir as metas de atendimento previstas.

Os servidores públicos estaduais terão um ambulatório exclusivo para atendimento. Ele será instalado no prédio do antigo Instituto de Previdência do Estado (IPE), atualmente ocupado pela ParanaPrevidência. O corpo clínico e demais funcionários serão do Evangélico. Internações e situações mais complexas serão atendidas diretamente no Evangélico.