O governador Beto Richa assinou nesta sexta-feira (22) a nomeação de 54 servidores do quadro geral da Defensoria Pública do Paraná. Serão chamados 45 agentes profissionais e nove assistentes técnicos. “A estruturação da Defensoria Pública é um compromisso assumido com os paranaenses”, disse.

Richa afirmou que as nomeações ampliam a atuação da Defensoria Pública no interior e garante melhores condições para a população mais carente tenha acesso à Justiça. Segundo ele, estimativas apontam que cerca de 90% das pessoas acusadas de crimes não têm condições financeiras para pagar um advogado.

Os novos profissionais foram aprovados no primeiro concurso público realizado pelo órgão, em agosto do ano passado. Foram ofertadas 729 vagas, entre defensores públicos, assessores jurídicos, pessoal técnico e de apoio administrativo.

A Defensora Pública-Geral, Josiane Bettini Lupion, disse que os servidores nomeados passarão por um curso preparatório de gestão pública, nos próximos meses. “A contratação de pessoal efetivo permitirá expandir o atendimento e o acesso à Justiça. O governador está honrando um compromisso assumido”, destacou.

Josiane explicou que os demais candidatos aprovados no concurso serão chamados após a posse dos primeiros 104 defensores públicos nas Comarcas, prevista para maio.

Cada Comarca no interior terá um defensor público, um assessor jurídico, um estudante de Direito, um psicólogo e um assistente social. Os novos defensores irão substituir os assessores jurídicos que foram contratados por processo simplificado.

Defensoria

A Defensoria Pública do Paraná foi criada pelo governador Beto Richa em 2011, após 20 anos de espera do Estado pelo órgão. A legislação prevê que o órgão seja autônomo, tenha orçamento próprio e possua ouvidoria externa, medida considerada modelo para os estados do País.