Os funcionários do turno da noite do Hospital Evangélico, em Curitiba, decidiram nesta quarta-feira (10) pela greve a partir do dia 21 de janeiro, caso a direção não pague a primeira parcela do 13° e o vale-refeição. O turno da tarde, horas antes, decidiu pelo adiamento do indicativo para o dia 29. Caso a greve se confirme, o atendimento no Pronto Socorro (PS) pode parar. Ambulâncias do Siate e do Samu já não estão sendo aceitas no hospital.

De acordo com a assessoria do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde e de Curitiba (Sindesc), a Prefeitura de Curitiba depositou ontem a primeira parcela do repasse ao hospital, em um total de R$ 1,7 milhões, que deve ser utilizada para o pagamento da primeira parcela do 13° dos funcionários, mais o vale-refeição.

“Já liberaram este repasse que deve entrar até hoje pela manhã, por conta de uma transição bancária que leva cerca de dois dias para se concretizar. Ambulâncias do Siate e do Samu já não estão sendo mais aceitas devido à iminência de paralisação”, explicou Isabel Cristina, presidente do Sindesc.