Os funcionários da limpeza pública deCuritibarejeitaram durante a 1° assembleia desta quinta-feira (21) a proposta de reajuste salarial da Cavo, empresa responsável pela limpeza pública na capital. Foi oferecido reajuste de 8% no salário e 9% no vale-alimentação. A classe pede aumento de 20% na folha de pagamento e outros 30% no vale. Caso os trabalhadores presentes nas outras duas assembleias também rejeitem a proposta e a Cavo não vier a oferecer um valor melhor, a classe inicia a greve a partir da meia-noite de terça-feira (26).

Antônio Nascimento – Banda B
Funcionários rejeitaram a proposta na 1° assembleia

A assembleia pela manhã aconteceu no posto principal da Cavo, no bairro Rebouças. As outras duas aconteceram de tarde nas sedes do Centro e do bairro Portão. Para o presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco), Manasés de Oliveira, como 100% dos trabalhadores rejeitaram a proposta na 1° assembleia a tendência é que a mesma decisão seja tomada nas outras.

“Embora a greve esteja marcada para terça, as negociações estão abertas. A própria empresa pretende se pronunciar depois de nossa decisão e vamos ficar no aguardo até a data limite. O valor oferecido por eles está muito abaixo do que pretendemos”, afirmou.

A Banda B acompanha na tarde de hoje as outras duas assembleias que definirão o futuro da negociação salarial.