Redação

correios greve1

Assembleia em Curitiba decidiu pela greve – Foto: Sintcom PR

Os trabalhadores dos Correios do Paraná entram em greve nesta quarta-feira (18) por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleias realizadas nas cidades de Ponta Grossa, Curitiba, Maringá, Foz do Iguaçu e Cascavel na noite desta terça-feira (17) Segundo o sindicato da categoria, 620 trabalhadores participaram das assembleias.

Com a paralisação, os funcionários prometem fazer piquetes em frente aos Centros de Distribuição Domiciliária (CDDs) para convencer outros trabalhadores a aderirem a greve. Em Curitiba, há CDDs nos bairros Novo Mundo, Portão, Santa Cândida e Bacacheri.

Em encontro no Tribunal Superior do Trabalho (TST), os Correios ofereceram ofereceu reajuste de 8% nos salários (o que, segundo a ECT, repõe integralmente a inflação do período, de 6,27%, e garante ganho real de 1,7%); de 6,27% nos benefícios; pagamento de vale extra no valor de R$ 650,65, a ser creditado em dezembro; e Vale Cultura, dentro das regras de adesão ao programa implementado pelo governo federal. A proposta não foi aceita em assembleias do Paraná e de outros seis sindicatos em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Sul, Tocantins, São José dos Campos (SP) e Vale do Paraíba (SP).

Os trabalhadores querem 7,13% de reajuste mais 15% de aumento real e R$ 200 de aumento linear para todos os 123 mil servidores. Além disso, pedem 20% de aumento pelas perdas salariais ocorridas desde o Plano Real.
Segundo os Correios, atender às demandas da categoria causaria impacto de R$ 31,4 bilhões sobre a folha de pagamento, o equivalente a “quase o dobro da previsão de receita” para este ano, “ou o equivalente a 50 folhas mensais de pagamento da ECT” como um todo.

Bancários

Nesta quinta-feira (19), os bancários de todo o país devem cruzar os braços. A greve, por tempo indeterminado, é em razão da exigência da categoria de 11,93% de reajuste salarial (5% de aumento real), piso salarial para os bancários referente ao valor calculado pelo Dieese (acima de R$ 2 mil) e o fim das demissões no setor, além de melhores condições de trabalho.

No início da campanha salarial, os bancos ofereceram reajuste de 6,1%, que apenas cobre o valor da inflação do período reivindicado.

Os caixas eletrônicos irão funcionar normalmente. A orientação para quem depende de serviços direto no caixa é que façam isso nesta quarta-feira (18), antes da greve.