O Hospital São Vicente informou à imprensa nesta segunda-feira (18), por meio de nota, o afastamento do funcionário que negou atendimento no último sábado (16) ao ex-prefeito de Curitiba Saul Raiz. Uma sindicância foi aberta pela casa hospitalar que determinou o afastamento do profissional de saúde até que todos os fatos sejam apurados.

Na mesma nota, o hospital afirma que o seu serviço de pronto atendimento não se caracteriza como pronto socorro, sendo impróprio para tratamento de lesões causadas por arma de fogo. Apesar disso, o Ministério Público do Paraná e a Prefeitura de Curitiba cobram explicações do hospital, por ter negado os primeiros atendimentos. A acusação é de omissão de socorro.

Ontem, a polícia divulgou imagens dos suspeitos de terem atirado contra Raiz na tentativa de assalto na Av. Visconde de Nacar. Eles fugiram em um Fiat Stilo e um deles vestia a camisa do Corinthians. Ainda, o ex-prefeito saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico e se recupera bem dos dois tiros que levou.

O assalto

Raiz estava dentro de sua caminhonete, diante de uma obra que está construindo, na rua Visconde de Nácar, quando começou a arrancar com o carro e ouviu um grito de “Pare”. Mesmo assim, ele resolveu continuar e foi baleado com três tiros. As balas atingiram o ombro e uma das mãos. Mesmo baleado, ele conseguiu dirigir até o Hospital São Vicente.

Suspeitos

A polícia já sabe que o ex-prefeito de Curitiba Saul Raiz foi baleado no último sábado por dois jovens, com idade entre 18 e 20 anos. Os dois fugiram da Av. Visconde de Nacar em um Fiat Stilo, que dava cobertura, e um deles vestia a camisa dos Corinthians, conforme mostram imagens de câmeras de segurança da rua Visconde Nacar, onde ocorreu a tentativa de assalto. Estas informações foram divulgadas nesta segunda-feira (18) pelo delegado Renato Figueroa, da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba (DFRV), responsável por investigar o caso.

As imagens mostram um Fiat Stilo, que dava cobertura aos bandidos, passando pela rua às 16h52. Um minuto depois, às 16h53, os dois assaltantes aparecem correndo na mesma direção. Eles tinham acabado de balear Saul Raiz.