O prefeito Gustavo Fruet anunciou na manhã desta segunda-feira (6) que irá abrir uma sindicância na Urbanização de Curitiba (Urbs), empresa que administra o transporte público da capital, para apurar o destino de R$ 150 milhões que foram arrecadados em compras com cartão. A declaração foi dada durante a coletiva de imprensa de sanção da lei que isenta do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) o óleo diesel utilizado no transporte de coletivo de cidades com mais de 140 mil habitantes pelo governo do Estado.

Segundo Fruet, há mais de 150 milhões de reais já em créditos no sistema que houve antecipação de pessoas que compraram com cartão. “Essa sindicância serve para a gente saber onde estão esses recursos. Até o final do ano essas informações vão nos ajudar num melhor planejamento para o transporte público. Estima-se que houve uma antecipação através dos anos, não queremos achar um culpado e sim o destino desse dinheiro”, disse.

Isenção do ICMS

Sobre a isenção de ICMS, Fruet afirmou que o benefício aprovado hoje ajuda, mas não é o suficiente para manter a integração entre Curitiba e região metropolitana. “Sabemos da importância desta medida e achei necessário estar presente neste momento. As conversas entre os municípios da região metropolitana, o Governo e a URBS continuam. Por 30 dias, nós vamos conseguir manter este valor, mas é necessário medidas em curto prazo. Reafirmo que este subsídio não é para Curitiba, mas para os municípios da região metropolitana”, disse o prefeito, também sem dar pistas de como o problema será resolvido nos próximos meses.