O secretário de Estado da Educação e vice-governador, Flávio Arns, fez nesta segunda-feira (06), durante sessão plenária na Assembleia Legislativa do Paraná, um balanço dos avanços na Educação nos últimos dois anos. Ele destacou a valorização profissional, a qualidade na merenda escolar, a construção de novas escolas e reformas e lembrou, também, que a educação integral e a avaliação da educação básica são os dois grandes desafios para o Paraná avançar ainda mais.

“Todo governo e a sociedade devem considerar a educação como prioridade absoluta. E não existe educação de qualidade sem passar pela valorização dos funcionários”, disse o secretário.

Arns destacou o aumento salarial dos professores nos últimos dois anos – foram quase 35%. O secretário mencionou que o Estado também está atendendo uma antiga reivindicação para equiparar os salários do magistério ao dos técnicos de nível superior. A diferença entre as carreiras era de 26%. Em outubro será paga a última parcela, que estava prevista para 2014 e será antecipada.

Outro grande avanço é a contratação de professores por meio de concurso público. Em quatro anos serão cerca de 30 mil novos profissionais. Entre 2011 e 2012, foram efetivados 17.261 funcionários no quadro de servidores da Secretaria da Educação. Agora, a secretaria lançou concurso para seleção e contratação de mais 13.771 professores e pedagogos.

Merenda escolar

A agricultura familiar entrou definitivamente e em grande volume na alimentação escolar do Paraná. Arns lembrou que o Estado saltou de R$ 3 milhões destinados à compra de alimentos da agricultura familiar, em 2010, para R$ 32 milhões em 2013, valor poderá chegar a R$ 42 milhões até o fim do ano.

“Além da qualidade da merenda dos estudantes e de ajudar na mudança de hábitos alimentares, a nova merenda escolar melhora a vida de famílias do campo”, disse Arns.

O secretário lembrou que a mudança na merenda é tão significativa que o Estado teve que fazer adaptações nas cozinhas das escolas, com reformas e novos equipamentos para armazenagem e preparo das refeições. “Temos uma nova mentalidade a respeito de merenda escolar”, afirmou.

Educação integral

Todas as escolas estaduais podem preparar projetos pedagógicos para implantar a educação integral. “Esse é nosso grande desafio. Oferecer aos estudantes e às famílias que queiram atividades de contraturno” disse Arns.

Mais da metade das 2.140 escolas da rede estadual oferecem atividades de educação integral. Segundo o secretário, aumentar e qualificar essas atividades são as metas. Para estudantes do ensino fundamental, atividades de reforço pedagógico, artes e esportes, entre outras. Para o ensino médio o foco é na formação profissional.

Sistema de avaliação (Saep)

O Paraná implantou um sistema próprio de avaliação da qualidade da educação. São realizadas duas avaliações por ano, com o envolvimento de mais de 250 mil estudantes cada uma. “Precisamos nos avaliar, olhar escola por escola, saber como está o ensino e quais são os problemas de cada unidade” afirmou Arns.

Formação continuada

Em 2012, foram liberados 2,1 mil professores para fazer cursos de formação pelo Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE). Pela primeira vez a Secretaria da Educação abriu vagas para cursos de mestrado e doutorado, sem comprometer os vencimentos.

Transporte escolar

Os recursos quase triplicaram no Paraná. Foram aplicados R$ 28 milhões em 2010; R$ 58 milhões em 2011 e R$ 80 milhões em 2012. Além de mais recursos, o Paraná criou o Sistema de Gestão do Transporte Escolar (Siget), que já é referência para o Ministério da Educação. O novo sistema de gerenciamento reorganiza as informações dos municípios, com rota georreferenciada de veículos, para fazer uma melhor partilha dos recursos do transporte escolar.

Escolas em obras

Entre 2011 e 2012, o Governo do Paraná fez obras e reparos em 80% das escolas. Este ano o plano de investimentos totaliza R$ 500 milhões para construção de novas unidades e reformas que vão desde pequenos reparos a grandes intervenções, beneficiando aproximadamente 1,8 mil escolas.

Apenas em 2013, o governo estadual construirá 70 novas escolas e 35 já estão em obras. Das novas unidades que serão construídas nesse ano, 18 são Centros Estaduais de Educação Profissional. Com isso, o Paraná mais que triplica a rede que oferece profissionalização. O número centros profissionalizantes subirá de cinco, em 2010, para 23 até 2014.

Recursos descentralizados (até R$ 150 mil por escola)

O novo Programa de Descentralização de Recursos vai transferir, até o fim deste ano, R$ 75 milhões para manutenção e melhorias em 500 escolas paranaenses. Em 2012, foram 176 escolas beneficiadas. Até 2010, o valor máximo liberado para reformas era de R$ 15 mil por escola.

Cota Extra (R$ 15 mil por escola)

Em 2013, cerca de 500 escolas vão receber cotas extras de R$ 15 mil para pequenos reparos. No ano passado foram atendidas cerca de mil escolas.

Obras centralizadas (grandes reformas / reconstruções)

Este ano, 120 escolas estaduais passarão por grandes reformas. Algumas são verdadeiras reconstruções.

Cargos e Salários dos Funcionários

O governador Beto Richa vai sancionar a lei que melhora o Plano de Cargos e Salários dos Funcionários das escolas da rede estadual. A adequação foi votada na Assembleia Legislativa e aumenta as oportunidades de promoções na carreira dos agentes I e II, proporcionando avanços e ganhos salariais.