A Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU), coordenada pela Polícia Militar do Paraná, interditou quatro estabelecimentos noturnos nas noites de sexta-feira (22) e sábado (23), em Curitiba. Ao todo, 15 locais foram fiscalizados nos dois dias da operação e 1.945 pessoas foram abordadas. Foram emitidas 50 autuações administrativas e houve a remoção de três veículos.

Na sexta-feira (22), sete estabelecimentos foram vistoriados e, destes, três foram interditados. Nesta mesma noite, foram emitidas 33 autuações administrativas por irregularidades. Foram abordadas 461 pessoas e, também, oito veículos, com a emissão de dez infrações de trânsito e a remoção de três veículos.

No sábado (23), foram vistoriados oito estabelecimento, com uma interdição. No total, 1.484 pessoas foram abordadas. Houve a emissão de 17 autuações administrativas por irregularidades diversas.

Um dos estabelecimentos interditados foi um clube, no bairro Tatuquara, notificado pela Secretaria Municipal do Urbanismo por desvirtuamento do ramo. O local recebeu também notificações da Vigilância Sanitária, pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Civil.

Um bar, no bairro Rebouças, foi notificado pela Secretaria Municipal do Urbanismo por falta de alvará, sendo multado por descumprir notificação anterior pelo mesmo motivo. Outra notificação foi emitida pelo Corpo de Bombeiros em função da falta de vistoria.

A Secretaria Municipal de trânsito emitiu dois autos de infração e dois veículos foram recolhidos.

Uma boate no Centro de Curitiba foi notificada pelo Conselho de Segurança de Edificações de Imóveis (Cosedi) para que no prazo de dez dias seja apresentado um laudo técnico.

Uma outra boate, também localizada na região central, foi interditada pela Secretaria Municipal do Urbanismo por falta de alvará. Foi notificada, ainda, pela Vigilância Sanitária e autuada por precárias condições de higiene e para que sejam feitas adequações nas instalações físicas. O estabelecimento também foi notificado pelo Corpo de Bombeiros por falta de vistoria e, pelo Cosedi, por falta de laudo técnico.

Um bar no Largo São Francisco foi notificado pela Secretaria Municipal do Urbanismo por falta de alvará, com prazo de dois dias para regularização. A Vigilância Sanitária e o Cosedi também solicitaram adequações.