Da Redação

Uma situação inusitada no bairro Capão Raso, em Curitiba, acabou na delegacia. Uma aluna de uma academia, de 15 anos, filha de um soldado da Polícia Militar (PM), denunciou um suposto abuso que sofreu por parte de um professor do estabelecimento. O homem foi encaminhado ao Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes), onde assinou Termo Circunstanciado (TC) por importunação ofensiva ao pudor.

O pai da adolescente procurou à Banda B e contou o que teria acontecido. “O professor vem assediando ela e hoje ofereceu carona, mas ela disse que não queria. Então ele a abordou e pediu um beijo. Ela disse que não ia dar porque ele era muito velho. Aí então, este rapaz simplesmente a agarrou”, descreveu.

Ainda de acordo com o pai, após isso a sua filha ligou desesperada. “Ela me contou e eu fui até a academia para tirar satisfação. Na delegacia, ele assumiu o que fez”, afirmou.

Por outro lado, o professor da academia nega o assédio. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o Nucria optou pelo TC porque a confusão teria acontecido da seguinte forma: “A menina foi se despedir e ele virou o rosto, dando um selinho nela”, informou a assessoria.

Academia

Segundo a assessoria de imprensa da academia envolvida no caso, o pai da aluna chegou armado e com companheiros da PM no local. Alguns frequentadores chegaram a se assustar, pelo fato dele entrar amado. Com relação ao caso, a assessoria confirmou que a aluna é da academia e relatou que toda a confusão aconteceu do lado de fora. Por enquanto, de acordo com a academia, cada lado dá uma versão para o que aconteceu. “Agora isso vai ser apurado e o professor, se comprovado, punido. Somos contrários e vedamos qualquer tipo de abuso de professores contra alunas”, disse a assessoria.