A Ferroeste recebeu no primeiro trimestre deste ano 150 toneladas de peças e equipamentos de reposição para locomotivas. O material, cedido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), era da antiga Rede Ferroviária Federal – RFFSA. Foram utilizadas nove carretas para transportar o material até Guarapuava, onde ficam as oficinas da Ferroeste.

“O apoio do DNIT à Ferroeste tem sido muito importante”, ressalta o presidente da empresa, João Vicente Bresolin Araujo. “Agradecemos, em especial, a colaboração do general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, diretor-geral do órgão”. A cessão de direito de uso gratuito das peças, máquinas e equipamentos ferroviários foi viabilizada no final de 2011 pelo DNIT.

Os equipamentos que a Ferroeste começou a receber há vários meses são utilizados na reforma e manutenção de locomotivas, explica o Bresolin. “Graças à cessão desses equipamentos foi possível recuperar quatro máquinas que estavam inativas”.

Peças como resfriadores de óleo, pistões, contactores de reversão, anéis de pressão, fusíveis, válvulas e uma enorme quantidade de outros itens estão permitindo à Ferroeste atender os produtores do Estado com maior eficiência.

A Ferroeste trouxe este ano, em fevereiro, sete carretas com 110 toneladas de peças da cidade de Cruzeiro (SP). Em março foram entregues mais duas carretas de 40 toneladas retiradas, desta vez, do depósito do DNIT na Vila Oficinas, em Curitiba.

Os bens retirados nos vários barracões do DNIT em Campinas (SP), Cruzeiro, Curitiba e Colombo perfazem um total de 1.182.006 peças. A Ferroeste aguarda a liberação de um novo lote de150 toneladas de peças de reposição que também está na cidade de Cruzeiro. Outros lotes deverão vir, futuramente, de três cidades do Estado de São Paulo – Sorocaba, Bauru e Avaí.