Em resposta à crítica do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, de que a Operação Carne Fraca cria “fantasias” sobre o assunto, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) defendeu o modo de atuação dos agentes federais, considerado “irrepreensível” pela entidade.

Em publicação no site da federação, o presidente Luís Boudens disse nesta segunda-feira, 20, que, para proteger setores do mercado e do governo, “há uma orquestração para descredenciar as investigações de uma categoria que já provou merecer a confiança da sociedade”.

Boudens ressaltou que os agentes federais que trabalham nas investigações não participam das divulgações delas – o governo federal considerou que houve exagero na maneira em que as informações da Carne Fria foram divulgadas.

O presidente da Fenapef ainda criticou diretamente o delegado Maurício Morcardi, que concedeu entrevista na sexta-feira, 17, sobre a operação. “Moscardi, por exemplo, não tem a menor condição de ser apresentado como coordenador de qualquer operação. Seu tempo na Polícia Federal por si só já justifica sua inexperiência para tratar de assuntos delicados”, disse.