Antônio Nascimento/Banda B
“Isto não é uma festa! É uma manifestação cultural”, dizem os manifestantes

A chuva afastou os manifestantes da 1º Farofada no Granito, na Avenida Bispo Dom José, mas não a animação de quem se reuniu na calçada mais cara de Curitiba. O protesto aconteceu na tarde deste domingo (5) e foi totalmente organizado pela rede social Facebook. A revolta é quanto a colocação de granito nas calçadas do bairro Batel, em Curitiba.

Adenilson Soares
Organizadora estava de biquini

Por volta das 15h, cerca de trinta pessoas estavam no local. Entre cadeiras de praias, os manifestantes levaram frango assado, maionese e farofa. Durante dez minutos recitaram versos e poemas do escritor curitibano Paulo Leminski. A líder do movimento, vestida à caráter, Kaley Michele, conversou com a Banda B. “Este protesto é para as autoridades saberem que nós estamos aqui, acompanhando tudo. Queremos conscientizar a todos para que isto aconteça mais”, diz. Mesmo com a chuva e com o frio típico da cidade, Kaley estava de biquíni e canga.

“Isto não é uma festa! É uma manifestação cultural”, disseram outros manifestantes – que é a frase símbolo do encontro. Com guarda-chuvas, a farofada foi tímida, mas divertida.

A Avenida Batel está sendo revitalizada. No total, a obra terá 5.200 metros quadrados. Destes, foram colocadas pedras em 180 m² de calçamento. O granito foi adquirido por R$ 149 o metro quadrado. Para resolver o problema, a Prefeitura de Curitiba usou blocos de concreto para intercalar com as pedras – o concreto terá um custo de R$ 49 o metro quadrado.