(Foto: EBC)

 

Duas farmacêuticas responsáveis técnicas e duas empresárias foram presas em flagrante por falsificação de produtos para medicamentos manipulados em Curitiba. A operação, da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Decrisa), aconteceu nesta terça-feira (30) em duas farmácias de manipulação na capital, uma no Centro e outra no Fazendinha.

Informações iniciais da Decrisa dão conta que eram revendidos, sem registro, medicamentos para crianças com necessidades especiais. A ação teve apoio do Conselho Regional de Farmácia do Paraná e terminou com vasto material apreendido. A Banda B apurou junto à especializada que eram manipulados produtos vencidos, sem uma origem comprovada e que dependiam de uma autorização da Anvisa.

Outro crime praticado pelas presas está a fabricação de produtos manipulados em série que deveriam ser preparados de forma individual. As farmácias fechadas, de acordo com a Decrisa, são conhecidas na região. As investigações começaram com uma mãe de uma criança autista que procurou a delegacia, após seu filho passar mal pela ingestão de um medicamento manipulado em um dos estabelecimentos.

Uma coletiva de imprensa, marcada para as 15h de hoje, trará mais detalhes sobre o caso.

Mais informações em breve